Segurança é prioridade do novo presidente do Condesb

Prefeito Paulo Alexandre Barbosa quer parceiras com outras esferas de governo

Comentar
Compartilhar
02 MAR 201510h28

Segurança. Essa é a palavra de ordem do novo presidente do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb) e prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), que assumiu o mandato na última sexta-feira (27).

“A questão da segurança preocupa a população e todos governantes. Precisamos ter medidas objetivas e consistentes. Os municípios não têm a responsabilidade constitucional de segurança e têm limitações orçamentárias significativas para implantar medidas nesta área. Então, precisamos da parceria do Governo Estadual com a ampliação do efetivo, introdução de novas tecnologias, e também a presença do Governo Federal, a participação do Ministério da Justiça nesse processo”, disse Barbosa.

O prefeito também afirmou que irá buscar apoio do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para realizar investimentos na área de segurança pública na Baixada.

“Acho que esse é o caminho. A soma de todos os esforços, em todas as esferas, para que a gente possa avançar”.
Pela primeira vez à frente do órgão, o prefeito santista quer que o Condesb seja a ferramenta para tirar do papel projetos para o desenvolvimento da região.

“É um desafio muito importante. O Condesb sempre foi a voz dos prefeitos. Agora, nosso desafio é que ele seja também as mãos para tornar os projetos importantes da Baixada realidade. Vamos fazer todo esforço para que isso possa se concretizar, com pautas objetivas, discussões concretas, participação de autoridades, tanto no nível estadual quanto federal. Vamos articular para que elas estejam presentes nas reuniões do Condesb, prestando contas, fazendo anúncios e medidas importantes para a Baixada Santista”.

Antes mesmo de assumir o cargo, Barbosa já alinhavava visitas de representantes dos governos Estadual e Federal. Na última terça-feira (24), quando foi eleito, ele já anunciou as presenças do secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, e do ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD), nas próximas reuniões.

“Essa proximidade (das autoridades) contribui para um conhecimento mais profundo das nossas necessidades, para o quadro regional para que a gente possa avançar nas soluções. É esse o objetivo. Por isso, nas reuniões do Condesb, nós vamos procurar convidar as autoridades, secretários de Estado, ministros, autoridades do Governo Federal, para que a gente possa avançar num grande pacto metropolitano”.

Barbosa vai buscar apoio de ministro para investimentos (Foto: Arquivo/DL)

Saúde e outras questões

Apesar da prioridade ser a segurança, Paulo Alexandre Barbosa também destacou outras áreas que precisam de atenção. “Existem outros temas que serão tratados também como a questão da saúde, que é importante para nossa região, a mobilidade urbana, o desenvolvimento econômico sustentável que engloba a destinação final do lixo, a geração de empregos. São temas que nós vamos tratar também dentro do âmbito do Condesb”.

O novo presidente falou também sobre a ideia da construção de um hospital regional em São Vicente. Para ele, a principal dificuldade é a obtenção de recursos para a compra de equipamentos hospitalares. “A questão do hospital é muito importante, não só para São Vicente, mas para toda a Baixada. É importante que nós tenhamos uma solução estruturada. A maior dificuldade na saúde não é a realização de obra, mas o custeio dos equipamentos. No primeiro ano de funcionamento, a maioria dos equipamentos de saúde consome mais recursos do que foi investido na obra toda. Precisamos ter recursos para custeio. Por isso a participação do Ministério e do Governo Estadual é muito importante”.

Legado

Paulo Alexandre quer deixar como legado para a Baixada Santista a melhora na qualidade de vida. “Nosso objetivo é construir uma região melhor para se viver. Nossa região tem características importantes, tem um papel preponderante no desenvolvimento econômico do Brasil. É fundamental que a gente possa não só preservar, como ampliar o maior patrimônio que temos que é a qualidade de vida. Para isso, precisamos ter uma região mais segura, com uma saúde de melhor qualidade, com geração de emprego e desenvolvimento econômico, para as pessoas escolherem, cada vez mais, a nossa região como destino”.