Quiosqueiros pedem reurbanização do calçadão na Enseada para recuperar faturamento

Eles esperam que a Prefeitura recupere o calçadão até dezembro

Comentar
Compartilhar
11 MAR 201322h50

Donos de quiosques da praia da Enseada, em Guarujá, esperam resgatar o faturamento na temporada de Verão, com a reurbanização do calçadão que foi destruído pelas ressacas dos últimos meses. Eles esperam que a Prefeitura recupere o calçadão até dezembro. Consequentemente, o movimento na praia também ficou prejudicado.  Foram seis cheias que destruíram quiosques, arrancaram coqueiros e baixaram o nível da faixa de areia em cerca de 1,5 m.

Na madrugada de quarta para quinta-feira da semana passada, a força da água agravou ainda mais os danos. A primeira alta da maré atingiu a região no final de julho. As outras ocorrências foram em agosto e setembro.

Para recuperar o quiosque danificado pelas ressacas, o comerciante, Enoque Lima, está investindo cerca R$ 35 mil. Lima disse que a cheia de setembro foi a mais forte. “Deixei de faturar R$ 10 mil nos feriados prolongados por causa da reforma. Contra  a força da natureza nada se pode fazer. A solução será transferir os quiosques para o calçadão como já prevê o projeto da Prefeitura”.

O quiosqueiro, Esdras Queiroz de Souza Jr, também deixou de vender em torno de R$ 10 mil por conta dos estragos resultantes das ressacas. Já os  prejuízos com o quiosque foi em torno de R$ 6 mil.  Mas, segundo ele, o fraco movimento na praia se deve mesmo à destruição de parte do calçadão e na redução da faixa de areia.

“Menos pessoas desceram para as praias. E quem veio à praia foi para ver o estrago da natureza e não consumiu nada no quiosque”, afirmou o comerciante. Com relação à destruição dos quiosques e de parte do calçadão da Praia da Enseada, a Prefeitura de Guarujá informou, em nota, que já recolheu o entulho acumulado no local. Segundo a Secretaria das Administrações Regionais, o que ainda permanece na Praia é por pedido dos próprios quiosqueiros, que reutilizariam o material.

Ainda segundo a nota, a Prefeitura replantou coqueiros e retirou do local os sombreiros que foram destruídos pela força da maré. A Administração também deverá reconstruir, até o final do ano, o muro de contenção, em frente ao Casa Grande Hotel. Com relação aos quiosques que foram atingidos pelas águas, a Prefeitura não se comprometeu na reconstrução dos estabelecimentos, por se tratar de empreendimento particular.

A Administração informou também que já foi formalizado um convênio com o Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (Dade), que prevê a construção de muros de arrimo e espaço para quiosques fora da faixa de areia da Enseada, dentre outras intervenções. O projeto será executado em três etapas, sendo que a segunda já está em andamento e os espaços para os quiosques serão construídos na última fase. Ainda não há previsão para a viabilização desta obra.