Prefeitura fecha agência do Itaú no Centro por 24 horas

Banco foi multado três vezes. Administração cumpre lei que obriga atendimento no máximo em 15 minutos em dias normais

Comentar
Compartilhar
11 MAR 201515h13

A Prefeitura de Santos multou em R$ 5.938,13 e fechou hoje, por 24 horas, a agência do Banco Itaú, localizada à Rua General Câmara, no Centro da Cidade, por descumprimento à lei municipal 2.331, de 2005, que determina prazos máximos para o atendimento de clientes. Antes do fechamento, o Itaú havia sido multado duas vezes - uma em outubro e a outra em dezembro de 2014, em R$ 5 e R$ 10 mil respectivamente.

Quem procurou a agência encontrou guardas municipais e policiais militares impedindo a entrada. Somente os terminais de autoatendimento foram liberados. Conforme a lei, os bancos têm até 15 minutos para atender a população em dias normais; 20 minutos às vésperas e após os feriados prolongados e 30 minutos nos dias de pagamento dos funcionários públicos, municipais, estaduais e federais.

A fiscal municipal Gisleine Pontes, responsável pelo cumprimento da lei, disse na porta da agência que é a primeira vez que a Prefeitura fechou uma agência por descumprimento. Ela explicou que a operação ocorreu em virtude de uma denúncia encaminhada à Ouvidoria Municipal. “Os usuários e clientes devem guardar o tíquete que recebem na entrada e pedir a autenticação no caixa para comprovar a espera além do tempo permitido. O comprovante deve ser apresentado na Ouvidoria, mesmo por e-mail, que abre boletim de ocorrência e o encaminha à fiscalização”, detalha.

Segundo apurado, de junho do ano passado até este mês, 16 agências foram multadas, mas apenas duas pagaram. As demais entraram com recursos para evitar o prejuízo. O valor da multa dobra em caso de reincidência. Na terceira irregularidade a agência é impedida de funcionar por 24 horas. A Agência do Itaú tem 30 funcionários e atende cerca de mil pessoas por dia.

A Reportagem conversou com clientes e todos concordaram com a atitude da Administração. “Está correto fechar a agência. Se não está respeitando os 15 minutos, tem que ser penalizada. As pessoas ficam muito tempo esperando. É preciso fazer isso em outros bancos”, disse Rubens Gonçalves Silva.

Rodolfo Luiz Cotting disse que chegou a parabenizar os fiscais. “O atendimento precisa ser melhorado. Quem não cumpre a lei tem que ser punido. Estou plenamente de acordo. Que assim seja, sempre”.

“Esses problemas são a realidade das agências não só na Baixada Santista, mas em todo o Brasil, principalmente após a fusão do Itaú com o Unibanco, que gerou milhares de cortes. A cada dia que passa são menos bancários e mais metas, que dão margem para assédio moral e exploração dos trabalhadores”, afirma Élcio Quinta, diretor do Sindicato dos Bancários de Santos e Região e funcionário do Itaú. O Sindicato orienta a população a seguir denunciando, qualquer banco que descumpra a legislação, por meio da Ouvidoria Municipal.

A agência do Banco Itaú da Rua General Câmara 9, no Centro, foi fechada quarta-feira (11) (Foto: Luiz Torres/DL)

Banco

Procurado, o Itaú informou que tem foco constante na agilidade e qualidade do atendimento aos clientes e pratica o controle dos tempos de espera em suas agências por meio de metodologia própria aplicada antes mesmo da promulgação das leis sobre tempo de atendimento.

O banco ressalta que essas advertências são casos pontuais e já foram sanadas. O banco continua focado no investimento em equipes capacitadas, serviços de qualidade diferenciada e tecnologia, reafirmando seu compromisso com a excelência no atendimento ao cliente.