X

Cotidiano

PM usa bombas de gás para dispersar foliões na Vila Madalena

Segundo a prefeitura, a região recebeu mais de 350 mil pessoas nos dois últimos finais de semana por causa dos blocos de carnaval

Publicado em 17/02/2015 às 14:31

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Policiais e foliões entraram em confronto por volta da 1h de hoje (17) na Vila Madalena, bairro que concentra grande quantidade de bares e restaurantes em São Paulo. Bombas e gás lacrimogêneo foram utilizados para impedir que os foliões permanecessem nas ruas da região durante a madrugada. Durante a confusão, foliões também atiraram garrafas nos policiais. Há uma determinação da prefeitura para que o público se disperse entre a 0h e a 1h, atendendo a um pedido dos moradores da área, incomodados com excesso de barulho no local.

Segundo a prefeitura, a região recebeu mais de 350 mil pessoas nos dois últimos finais de semana por causa dos blocos de carnaval. “Problemas pontuais registrados neste fim de semana foram ocasionados pela dinâmica de pessoas que foram ao bairro, independente de integrarem os blocos, e permaneceram no local, mesmo com o final dos desfiles”, informou o órgão em um boletim.

Na madrugada de sábado (14) para domingo (15) foi registrada a ocorrência de som automotivo acima do volume permitido por lei e aglomeração de pessoas (conhecido como pancadão) em um posto de gasolina, próximo à Rua Inácio Pereira da Rocha. Com a reclamação dos moradores, a Polícia Militar passou a ocupar o posto e o problema não se repetiu, de acordo com a prefeitura.

Dos 300 blocos cadastrados para participar do Carnaval de Rua na cidade, 67 estavam nas ruas de Pinheiros e da Vila Madalena. Mais de 80% dos 47 desfiles na região ocorreram antes das 18 horas. “Os dados mostram que a quantidade de pessoas na Vila Madalena durante a noite não tem relação com a presença dos blocos na região. E o crescimento dos blocos foi muito pequeno, ao passo que a presença de pessoas nas ruas aumentou inclusive em relação aos números verificados durante a Copa do Mundo”, disse o subprefeito, Ângelo Filardo.

Os eventos ocorridos na Vila Madalena são monitorados em tempo real por uma Central de Operações, que reúne representantes de 14 secretarias municipais e a Polícia Militar.

Do total de blocos que passou pela Vila Madalena desde o dia 7 de fevereiro, seis serão autuados por desviarem do itinerário ou descumprirem horários. Mais seis, com problemas considerados de menor gravidade, serão notificados. O valor da multa pode chegar a R$ 3 mil.

A prefeitura informou ainda que, desde o dia 7 de fevereiro até ontem (16), foram recolhidas mais de 260 mil toneladas de lixo na região e apreendidas cerca de 3 toneladas de mercadorias de comércio ilegal.

"[Foi preciso] reagir pontualmente para garantir a integridade física de policiais e garis, após ser atacada com garrafas durante a dispersão e a varrição", destacou a PM em nota. Segundo a corporação, um policial e uma gari ficaram feridos durante o confronto, mas passam bem. Não houve detidos no incidente desta madrugada que ocorreu entre as ruas Aspicuelta e Fidalga. A Polícia Militar informou que 32 pessoas foram detidas na região entre sexta-feira (13) e a noite de ontem (16), por diversos crimes.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Praia Grande oferece 50 vagas gratuitas para oficina de fotografia

Inscrições começam na próxima segunda (22), no Palácio das Artes

COPA DO BRASIL

Sorteio define mandos das semis da Copa do Brasil; veja quem decidirá em casa

É a primeira vez na história que uma competição de cunho nacional terá a decisão das semis sendo do eixo Rio-SP, com 2 de cada estado

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software