Banner gripe

Papa Francisco enfatiza direito à alimentação como fundamental

Francisco citou o paradoxo da abundância descrito pelo Papa João Paulo II - em que há comida para todos mas nem todos podem comer -, afirmando que isso continua sendo um problema

Comentar
Compartilhar
07 FEV 201523h44

O Papa Francisco enfatizou o direito à alimentação como fundamental em discurso em vídeo neste sábado a 500 especialistas no tema que começarão a trabalhar em um documento para sensibilizar e propor soluções para questões como fome, obesidade e desperdício de alimentos.

Francisco citou o paradoxo da abundância descrito pelo Papa João Paulo II - em que há comida para todos mas nem todos podem comer -, afirmando que isso continua sendo um problema, apesar dos esforços da comunidade internacional.

O Papa falou a um grupo de especialistas incumbidos de preparar a chamada Carta de Milão, que tenta obter compromissos de governos, organizações e indivíduos durante a feira mundial Expo 2015 para resolver questões como garantia da segurança do acesso aos alimentos, diminuição do desperdício e combate à fome e à obesidade. A Itália é a sede da Expo 2015, que vai de 1º de maio a 31 de outubro.

O Papa Francisco enfatizou o direito à alimentação como fundamental (Foto: Tony Gentile/Associated Press)

Ele exortou os participantes a se concentrar em resolver "as causas estruturais da pobreza", e não apenas situações de emergência, e a manter a dignidade do ser humano no cerne da política econômica.

O governo italiano quer que a Carta de Milão seja o legado da Expo 2015, aumentando a consciência sobre o direito universal a um suprimento de alimentos "saudáveis, seguros e suficientes", disse o ministro da Agricultura da Itália, Maurizio Martina.

O documento será entregue a 145 ministros da Agricultura que se reunirão em Milão em junho a fim de obter novas contribuições. A carta será então apresentada em outubro, no fim da Expo 2015, ao secretário-geral da ONU. 

Colunas

Contraponto