Prefeitura Santos
Prefeitura Santos Mobile

Nova UPA vai funcionar como hospital de campanha contra o coronavírus

contrato de gestão compartilhada entre a Prefeitura de Santos e a Pró-Saúde foi publicado no Diário Oficial desta quarta (1º)

Comentar
Compartilhar
02 ABR 2020Por Da Reportagem15h40
Estão previstos cinco leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 41 de enfermaria, totalizando 46Foto: Divulgação/PMS

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Leste (Praça Visconde de Ouro Preto s/nº) entrará em operação na primeira quinzena de abril e, diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), vai funcionar inicialmente como hospital de campanha para atender pacientes com sintomas da doença encaminhados por outras unidades da rede de urgência/emergência. Estão previstos cinco leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 41 de enfermaria, totalizando 46.

O contrato de gestão compartilhada entre a Prefeitura de Santos e a Pró-Saúde – Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, organização social vencedora do chamamento público, foi publicado no Diário Oficial desta quarta (1º). Já a homologação do processo pela Comissão Municipal de Publicização, divulgada no último dia 19.

A OS, que disputou com seis concorrentes, ficará responsável pelo gerenciamento, operacionalização e execução das ações e serviços da nova UPA, nos mesmos moldes da gestão das UPAs Central e Noroeste, Complexo Hospitalar dos Estivadores e novo Ambulatório de Especialidades (Ambesp).

O contrato entre a Prefeitura e a Organização Social (OS) é válido por um ano e pode ser prorrogado por até cinco anos. O valor anual é de R$ 20,3 milhões, o que representa o repasse mensal de R$ 1,6 milhão.

Para o atendimento da população, está prevista a contratação aproximada de 200 profissionais em regime CLT, além da prestação de serviços de empresas médicas, totalizando cerca de 240 profissionais entre médicos, enfermeiros, técnicos, auxiliares, equipes administrativas, de limpeza, segurança, entre outros.

Estrutura

A UPA recebe os últimos ajustes para ser equipada com os novos leitos. O prédio tem três pavimentos, sendo subsolo, térreo e primeiro andar. A nova unidade será três vezes maior do que a anterior, que funcionava no mesmo local: serão 3 mil metros quadrados de área.

A obra custou R$ 8,5 milhões, sendo R$ 4 milhões do Ministério da Saúde, R$ 1,1 milhão do Estado, R$ 1,6 milhão da Prefeitura e R$ 1,8 milhão do Termo de Responsabilidade de Medidas Mitigatórias e Compensatórias (Trimmc) com a empresa Ageo.

Após o período de utilização para a contingência da Covid-19, a unidade funcionará como unidade de pronto atendimento, com previsão de realizar até 2,7 mil procedimentos ambulatoriais, 12 mil exames diagnósticos e 15 mil consultas médicas - o dobro do número de consultas realizadas pelo atual Pronto-Socorro Provisório.

Plano

Santos criou um Plano de Contingência Hospitalar para o enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19) que prevê a destinação de 558 leitos para o tratamento do novo coronavírus (Covid-19), sendo 122 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 436 leitos de enfermaria. Deste montante de 558 leitos, são 477 novos leitos e 81 que tiveram a destinação alterada para tratamento da doença.