VLI DESKTOP TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Mudança no transporte público de Guarujá será gradativa

City Transporte Urbano apresentou ontem as principais mudanças no sistema a partir de fevereiro

Comentar
Compartilhar
25 JAN 2019Por Carlos Ratton08h20
Motoristas da Translitoral têm prioridade na contrataçãoFoto: Raphael Malacarne/CMG

O usuário do sistema de transporte público de passageiros de Guarujá e Vicente de Carvalho terá que ter um pouco mais de paciência. A partir do dia 1º de fevereiro, a City Transporte Urbano assume o serviço de forma gradativa. Isso significa que somente 40 ônibus, dos 125 zero quilômetros que comporão a frota inicial, serão novos. Os demais 85 estarão à disposição em seis meses.

A frota atual da Translitoral é de 147 veículos. Ou seja, a City vai operar com 22 veículos a menos, fazendo o mesmo itinerário, mas garante que o tempo de espera nos pontos não será alterado. Ao contrário, será minimizado ao final da implantação total do sistema.     

Ontem, em entrevista coletiva no Casa Grande Hotel, os representantes da nova empresa garantiram que os 40 ônibus já contarão com ar-condicionado e wi-fi e revelaram que os veículos semi-novos em circulação têm 10 anos de uso.

Tarifas

As tarifas permanecerão R$ 3,20. No entanto, é praticamente certo – dependerá de análises de planilhas – que a Prefeitura de Guarujá terá que subsidiar R$ 0,80 por passagem, transformando o custo final do transporte em R$ 4,00. Foi revelado que as planilhas levam em consideração não somente os usuários pagantes, mas também os que possuem isenção – estudantes, idosos e portadores de necessidades especiais – além de insumos, meias-passagens e outros.

O gerente geral da City, Roni Cavalcanti, ratificou o subsídio. “O transporte no Mundo depende de subsídio, porque o sistema é muito caro e o usuário não pode bancar o custo integral que compõe a tarifa. No entanto, o número valor exato do subsídio só será apresentado após estudos, que durarão 90 dias”.                 

Cronograma

A implantação da frota zero quilômetro segue o seguinte cronograma: 34 ônibus convencionais e seis micro-ônibus em fevereiro; três vans e 24 convencionais em março; 12 ônibus tipo Padron (13 metros de cumprimento) em abril; seis ônibus articulados (18 metros de cumprimento) em maio, 28 ônibus Padron em junho; 19 articulados em julho, totalizando 132 veículos – sete ficam de reserva, porque a frota opera com 125. A empresa ainda colocará seis Executivos em julho e um ônibus turístico em dezembro.

Os representantes da City disseram que darão prioridade em contratar os funcionários da Translitoral, desde que preencham todos os requisitos adotados e que os problemas trabalhistas têm que ser resolvidos entre a antiga concessionária e os trabalhadores, por intermédio do sindicato da categoria. “A City quer absorver a mão-de-obra da Translitoral, que terá preferência nas contratações”, disse Roni Cavalcanti.         

Investimento e metas

A engenheira e gerente de projetos da City, Athanasia Janet Michalopoulos, revelou que o investimento é de mais de R$ 190 milhões em frota e infraestrutura (estações e terminais e outros). A empresa terá até o final de abril para flexibilizar a idade e compor a frota, implantar garagens (locais ainda não definidos), colocar os 125 ônibus em circulação; alinhar linhas para aumentar em 30% as viagens; operar o Sistema Avant (de informações e identificação de usuários, itinerários, horários e tempo de viagem com uso de aplicativo).

Também pretende implantar no período de adaptação, o sistema de bilhetagem e controle eletrônico, integração eletrônica, administrar e manter os dois terminais e os pontos e, por fim, finalizar o Sistema BRT (Bus Rapid Transit), com capacidade para 12 mil lugares e linhas locais e complementares.

O sistema prevê ainda a reforma dos dois terminais existentes (Ferry Boat e Vicente de Carvalho); implantação de duas estações de embarque (Enseada e Morrinhos) e incorporação de bicicletas e um transporte especial para atender os moradores da região conhecida como Rabo do Dragão, que fica entre o Perequê e a balsa de Bertioga.   

Será adotado cartão transporte, o City Mais, mas o dinheiro será aceito até que os usuários estejam integrados ao sistema. “É preciso finalizar o cartão Translitoral e iniciar o City, Os locais de aquisição estão à disposição no site da empresa”, disse Athanasia.