Moradores querem cancela na linha férrea

A ALL realiza hoje campanha educativa no cruzamento da Rua Miguel Couto com a linha férrea

Comentar
Compartilhar
28 JAN 201322h24

A América Latina Logística (ALL) realiza hoje campanha educativa no cruzamento da Rua Miguel Couto com a linha férrea, com o intuito de minimizar o risco de acidentes envolvendo veículos e pedestres com os trens. Porém, moradores e comerciantes locais querem ações para garantir a segurança e o sossego no local.

José Nogueira Leal, morador e comerciante na Vila Couto há 33 anos, disse que já presenciou uma série de acidentes no cruzamento da Rua Miguel Couto com a linha férrea. “Os acidentes começaram depois que tiraram as cancelas, há uns dez anos.

A cancela obriga os carros, ônibus e caminhões a pararem, sem as cancelas ninguém para. Além disso, outro problema sério é a buzina do trem. É ensurdecedor e eu não agüento mais esse barulho o dia inteiro”, declarou José. “Se colocarem as cancelas de novo, o trem não precisa mais buzinar”, complementou José mostrando um protetor de ouvidos que disse ter ganhado de um maquinista.

O motorista José Roberto Gonçalves também se queixa das buzinas dos trens. “A buzina incomoda bastante, esse é o maior problema aqui”, disse o morador. Já o soldador Bruno de Jesus Santos, que mora na Fabril e atravessa a Rua Miguel Couto de bicicleta todos os dias em direção ao local de trabalho, disse que deveria haver uma passarela no local. “Falta uma passarela para dar mais segurança para os pedestres”.

A blitz da ALL acontecerá das 9 às 10h. Um grupo de voluntários distribuirá cartilhas aos motoristas que trafegarem pelo local para conscientizá-los.

Lei de Trânsito

De acordo com o Código Nacional de Trânsito, a linha férrea é sempre preferencial e a parada é obrigatória. Em caso de desrespeito à infração é gravíssima, sujeita a perda de sete pontos na carteira e multa de R$ 186.