Mobilização contra o Aedes envolve todos os bairros de Santos neste sábado

Somente este ano, Santos registrou 1.413 casos de chikungunya (com um óbito) e 1.214 casos de dengue

Comentar
Compartilhar
13 MAI 2021Por Da Reportagem16h27
O Aedes transmite dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela urbanaO Aedes transmite dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela urbanaFoto: Divulgação/PMS

Um dia inteiro voltado ao combate do mosquito Aedes aegypti, com eliminação de criadouros nos imóveis, aplicação de inseticida nos cemitérios, raspagem nas vias públicas, orientação e entrega de material informativo à população, carro de som e pedágio. Assim será o Dia D de Mobilização contra o Aedes aegypti, que ocorrerá em Santos, a partir das 9h deste sábado (15), com abertura da programação na Praça das Bandeiras, na orla do Gonzaga, onde será instalado um estande educativo.

O Aedes transmite dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela urbana. Somente este ano, Santos registrou 1.413 casos de chikungunya (com um óbito) e 1.214 casos de dengue.

"Toda a equipe da Prefeitura voltada à eliminação do mosquito estará ativa neste sábado, com o objetivo de alertar e contar com a população para que também reveja comportamentos. São 133 agentes de combate a endemias, mais pessoal de apoio, envolvendo cerca de 200 pessoas nessas ações. Vamos percorrer todas as regiões da Cidade para conscientizar a população. Fizemos um levantamento que nos mostrou que os criadouros mais comuns estão dentro das residências", afirma o secretário municipal de Saúde, Adriano Catapreta.

"Estamos em uma situação de alto risco de transmissão dessas doenças e é muito importante que as pessoas não descuidem de suas casas. Cada um precisa reconhecer sua responsabilidade no enfrentamento ao mosquito. Nesta data, queremos unir forças entre a rede de Saúde e a população, para que todos se tornem agentes multiplicadores no controle destas doenças", explica a chefe do Departamento de Vigilância em Saúde, Ana Paula Valeiras.

PROGRAMAÇÃO

As atividades começam às 9h, na Praça das Bandeiras, Gonzaga, onde a equipe de Informação, Educação e Comunicação (IEC) da Secretaria Municipal de Saúde fará distribuição de sal, para eliminar criadouros em ralos, e de material informativo. Também dará orientações sobre as doenças transmitidas pelo mosquito. Doze fuzileiros navais, cedidos pela Marinha, auxiliarão no trabalho de conscientização.

Um carro de som, com mensagem de conscientização e faixas alusivas afixadas nas laterais, percorrerá toda a orla. Na sequência, passará pelas regiões Central, Noroeste, Morros e Intermediária, retornando ao ponto inicial. O veículo foi cedido para a ação pelo Sindicato dos Químicos de Santos.

EXÉRCITO

A Seção de Controle de Vetores realizará o 'casa a casa', com visitas aos imóveis em todos os bairros. Para isso, mais de 130 agentes (todos uniformizados e identificados com crachá) farão o trabalho de vistoria e orientação, com o apoio de 30 soldados do Exército. Haverá também aplicação de inseticida nos três cemitérios municipais (Paquetá, Saboó e Areia Branca). A empresa Terracom fará raspagem de rua nas vias que possam servir como criadouros do Aedes aegypti. A ação ocorrerá simultaneamente às visitas 'casa a casa'.

Quem estiver chegando em Santos também será envolvido. No semáforo da Avenida Martins Fontes, quase em frente ao cemitério do Saboó, haverá pedágio educativo, com distribuição de sal para eliminar criadouros em ralos, sacolinhas de lixo para carros e folder informativo, atividade que contará com parceria da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).