Médicos devem ser contratados em janeiro em Cubatão

Projeto que regulamenta concurso público para contratação de profissionais da saúde foi aprovado na Câmara

Comentar
Compartilhar
07 NOV 201320h54

A Prefeitura de Cubatão deve contratar profissionais de saúde em janeiro do ano que vem devido à inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e da Unidade Básica de Saúde (UBS).

O primeiro passo já foi dado na última sessão da Câmara Municipal, na terça-feira, dia 5, com a aprovação — em primeira discussão — do projeto de lei que altera a tabela de cargos de provimento efetivo para médicos e técnicos da área da Saúde. A nova lei regulamenta o concurso público realizado em 2011 e permite à Prefeitura chamar os aprovados para compor seu quadro de funcionários. O documento foi aprovado em primeira discussão.

Projeto de lei foi aprovado na sessão de terça-feira (Foto: Luiz Torres/DL)

Contatada pela reportagem do Diário do Litoral, a Prefeitura de Cubatão explicou que, segundo a Secretaria Municipal de Gestão, ainda falta uma segunda discussão, conforme os regimentos da Casa Legislativa, para que o projeto seja considerado plenamente aprovado, mas que, de qualquer forma, “trabalha com a previsão de chamar novos profissionais para seu quadro funcional a partir de janeiro próximo”.


O concurso, que teve o edital publicado em dezembro de 2011, foi destinado à contratação de 82 profissionais e formação de cadastro de reserva para médicos de várias especialidades, odontólogos, farmacêuticos, bioquímicos, psicólogos, educador físico, pedagogo, engenheiro sanitarista, procurador, agente fiscal de tributos, além de diversas ocupações técnicas.

Legislativo

Os vereadores aprovaram e enalteceram a importância do projeto, que irá atender umas das principais deficiências do município. “Uma das principais reclamações dos munícipes é em relação à Saúde. Este projeto vem ao encontro do que o povo almeja. A Prefeitura vai chamar os concursados e pode aumentar seu número de médicos”, informou o vice-presidente da Casa, vereador César da Silva Nascimento (PDT).

Para Fábio Roxinho (PMDB), segundo secretário da Mesa, o projeto é importante. “Acrescento ainda que seria muito importante se voltássemos a ter mais equipes do Programa Saúde da Família. O diagnóstico prévio é importante. Antes, tínhamos mais de 20 equipes, hoje são 13”, informou.

O vereador Jair Ferreira Lucas (PT), o Jair do Bar, elogiou a Prefeitura por ter encaminhado o projeto e também os parlamentares por terem colocado a iniciativa em votação. O projeto entrou na pauta a partir de requerimento lido durante a sessão. “O projeto é de grande importância para a população e os vereadores entenderam isso. Com novos médicos, vamos melhorar o atendimento na Saúde”, afirmou.

O parlamentar Severino Tarcício da Silva (PSB), o Dóda, aprovou o projeto, mas pediu que o Executivo chame logo os médicos aprovados no concurso de 2011. “Fizemos nossa parte. Agora, a Prefeitura tem de fazer a dela. E devemos cobrar não apenas que se chamem os médicos, mas que o atendimento seja mais humanizado”.