Médico da USF Suarão divide a medicina com a profissão de escritor

Rodrigo Ladeira, médico da rede pública de saúde há dez anos, além dos cuidados que presta à população também é poeta.

Comentar
Compartilhar
13 JAN 201311h20

Há dez anos, o médico da rede pública de saúde, Rodrigo Ladeira, decidiu assumir outro papel em sua vida. Além dos cuidados médicos que presta à população, percebeu que por meio de poesias poderia compartilhar seus sentimentos e ajudar de alguma maneira um número maior de pessoas e hoje ele é poeta, autor de dois livros e um terceiro que está prestes a ser lançado.

Ladeira já escreveu “A Fusão dos Opostos”, com edição já esgotada, e “Desta coisa e Outras coisas” que se encontra disponível na livraria Jut’z Som. Seu terceiro livro, “Confissões de Um Pecado”, está com lançamento previsto para fevereiro deste ano. A obra aborda questões sobre o que realmente é o pecado.

Ele ainda pretende lançar outros três livros, todos de poesia, incluindo uma obra escrita no formato poético Haikai, de origem japonesa, em que as poesias são escritas em apenas três versos sendo que no primeiro e último deve-se conter apenas cinco sílabas e no segundo totalizar sete sílabas.

Rodrigo Ladeira também pinta quadros e algumas de suas obras estão expostas no consultório e no corredor da USF Suarão. (Foto: Divulgação)

Fora os livros escritos, Ladeira também escreve poesias para participar de concursos nacionais, estaduais e municipais. Ele já realizou três participações saindo como vencedor no ‘Concurso das Letras’, em Itanhaém, e foi selecionado em outros dois, o concurso ‘Poesia do Trem e do Ônibus’, de Porto Alegre, e o ‘Concurso Nacional de Minas Gerais’, ocorrido em São João Del Rei (MG).

No ano passado o poeta assumiu outro papel importante para sua carreira de escritor. Tornou-se membro da Academia Itanhaense de Letras ocupando a cadeira número 1 do patrono Totó Mendes.

As inspirações para escrever são as mais variadas como a vida, o amor, o mar, entre outras como ele mesmo conta. “Cerca de 50 ou 60% dos poetas são eles mesmos. Algumas vezes ele se utiliza como espelho e coloca os seus sentimentos como uma forma também de dividir, compartilhar e até mesmo ajudar outras pessoas”.

O que o ajuda a ter inspiração para escrever é a leitura de outras obras. Ladeira é colaborador da Biblioteca Municipal Paulo Bomfim e lê uma média de dois livros por semana.

O médico ainda divide as horas vagas com a pintura. Algumas de suas obras estão expostas no corredor e no consultório da Unidade de Saúde da Família (USF) do Suarão, onde trabalha atualmente.

História

O médico e poeta é natural de Minas Gerais e há doze anos vive em Itanhaém. Formou-se em medicina com especialização na área de Médico de Família e Comunidade na cidade de Volta Redonda (MG) e fez residência em Belo Horizonte. É um dos responsáveis pela implantação do Programa Saúde da Família em Itanhaém, presente hoje nas dez Unidades de Saúde da Família.