Material escolar será controlado por professores em Santos

Para evitar o desperdício, Prefeitura entrega só os uniformes no início das aulas

Comentar
Compartilhar
07 FEV 201410h36

No último dia 4, a Prefeitura de Santos fez reunião nas escolas da rede municipal para entregar o kit escolar. Horas depois, a rede social e os e-mails do Diário do Litoral começaram a receber reclamações: o kit foi entregue incompleto.

Na página do Vivendo em Santos, uma mãe denunciou o problema de forma anônima. Ela participou de uma reunião na escola Andradas II e se disse surpresa ao receber o material incompleto. “Na hora da entrega de uniformes, não tinha para todos. Crianças sem uniforme, sem material completo, sem ventiladores que prestem nas salas, como isso tudo vai ficar?”, questiona.

Na escola Antônio Demóstenes de Brito, o material também foi entregue pela metade. “Só entregaram os uniformes. Não entregaram livros, nem cadernos. As aulas começam hoje (dia 5) e vou ter que levar caderno por minha conta”, explica Cristina Rodrigues Martins, que também participou de reunião escolar no último dia 4.

Questionada sobre o assunto, a Prefeitura respondeu que os kits já foram distribuídos no dia 4, mas os cadernos fazem parte de outro kit que será distribuído aos estudantes durante a próxima semana. “Eles serão entregues separadamente para evitar o desperdício de material. Os itens ficarão sob a responsabilidade dos professores e serão distribuídos de acordo com a necessidade dos alunos”, informa.

Prefeitura entrega uniformes, mas não material escolar (Foto:Matheus Tagé/DL)

Apresentando melhorias, a Prefeitura informou também que, este ano, os uniformes mudaram de cor: passaram de azul royal para azul marinho. Os tecidos estão mais modernos e com mais qualidade. A quantidade de peças aumentou de dez para doze. Outra novidade, segundo a Administração, é o sistema de biometria. Quatro unidades receberam o projeto piloto e já estão com leitores em sala de aula.

Mais calor

Segundo a mãe que fez a denúncia na página do Vivendo em Santos, os dois ventiladores instalados na sala de aula não estão resolvendo o problema. Assim como outra mãe denunciou ao Diário do Litoral na edição de ontem. “Se as mães não mandam para a escola é chamado o conselho tutelar. Tem condições de mandar uma criança para a escola com esse calor infernal para ficar o dia todo com ventiladores que mal funcionam? Na escola Lourdes Ortiz, a diretora está pedindo a contribuição no valor de R$ 5 da APM (Associação de Pais e Mestres) para colocar ar-condicionado nas salas, isso não seria responsabilidade da Prefeitura? Todos os gabinetes têm ar-condicionado nas salas. Nossas crianças e funcionários também não merecem?”, reclama.

Com relação ao ar-condicionado, pedido constante de pais e funcionários, a Prefeitura informou que a Secretaria de Educação (Seduc) está na fase de estudos da rede elétrica das escolas para depois abrir o processo de licitação dos aparelhos. Afirmou ainda que as UMEs Irmão José Genésio e Auxiliadora da Instrução já possuem ar-condicionado.

Na Região, aulas começaram sem material escolar

A situação não abrange só Santos. Vários alunos da Região vão começar as aulas sem os kits escolares. Em São Vicente, por exemplo, as aulas começaram ontem, mas kit escolar, nada. E pior, a Prefeitura não tem previsão de quando a entrega do material escolar e do uniforme será feita.

Em Mongaguá, os kits de material escolar serão entregues em março, conforme previsão da Diretoria Municipal de Educação. A distribuição dos uniformes de verão e inverno também ocorrerá no mesmo período.

Já em Guarujá, os alunos começarão a receber os uniformes a partir do dia 10, segundo a Secretaria Municipal de Educação. Mas só isso. Os kits escolares, com material escolar, passarão por um novo processo licitatório. O anterior, que  sofreu impugnação, encerrou no último dia 30 de janeiro.

Em Peruíbe, as aulas também começaram ontem, mas os kits escolares — com uniforme e material escolar — serão entregues no próximo dia 10, segunda-feira. A Prefeitura informou ainda que, a partir deste ano, implantará um sistema padronizado de apostilas, que vai unificar o aprendizado em todas as escolas municipais. “Dessa forma, ainda que seja transferida de unidade durante o ano letivo, o mesmo prosseguirá na nova escola com o mesmo conteúdo didático”.  

Em Cubatão, as aulas começaram no dia 4, última terça-feira. Junta com a volta, as crianças receberam os uniformes. Já os kits de material escolar vão demorar um pouco. A entrega deve ocorrer até março. Segundo a Prefeitura, o pregão para a compra do material está em fase de finalização com a entrega das amostras pelas empresas vencedoras. “Previsto para acontecer no ano passado, o pregão sofreu atrasos por conta de ajustes no edital, recomendados pelo Tribunal de Contas do Estado, e questionamentos de empresas, que não foram acatados pela Justiça”, explicou.

Em Bertioga, as aulas começaram no último dia 5. Os kits escolares, com uniformes e material, devem ser entregues até o final deste mês, segundo a Prefeitura. “Os kits serão entregues em uma pasta, tipo mochila, e ainda contam com estojo personalizado, com o brasão do Município”, informou.

A Prefeitura de Itanhaém vai entregar os kits com materiais escolares aos alunos da Educação Infantil, Ensino Fundamental, Educação Especial e Educação de Jovens e Adultos (EJA) a partir do mês de fevereiro. Os lotes são divididos por anos e somam quase 17 mil kits, distribuídos a 52 unidades, entre escolas e creches.

Em Praia Grande, na última quarta-feira, dia 5, iniciou-se a entrega apenas dos kits de material escolar aos alunos da rede municipal. Os uniformes devem começar a ser entregues aos alunos a partir da próxima semana, mas no evento de quarta-feira foi feita uma entrega simbólica das vestimentas.