Marcia Rosa ganha mais 7 dias

Votação deve ficar para próxima terça; prefeita precisa de oito votos para derrubar posição do TCE

Comentar
Compartilhar
27 MAI 201510h45

A prefeita de Cubatão, Marcia Rosa (PT), tem sete dias para reverter um quadro desfavorável na Câmara, cujo resultado poderá deixá-la de fora das eleições por oito anos. A sessão de ontem do Legislativo mais uma vez não contou com quórum mínimo – oito parlamentares – para votar o parecer contrário do Tribunal de Contas do Estado (TCE) às contas da Administração Municipal de 2011.

É dado como quase certo que depois dos adiamentos forçados por duas sessões, ambos por falta de quórum mínimo, a votação do parecer do TCE será mesmo realizada na sessão da próxima terça-feira, a partir das 16 horas.

A grande dificuldade da chefe do Executivo será a de convencer oito dos 11 vereadores (dois terços do plenário) a rejeitarem o parecer do TCE. E ontem, tal como ocorreu na semana passada, pelo menos quatro parlamentares declararam acompanhar (votar a favor) o parecer do TCE: Adeildo Heliodoro dos Santos, o Dinho (Solidariedade), Ivan Hildebrando (PDT), Severino Tarcício da Silva, o Doda (PSB), e Ademário da Silva Oliveira (PSDB).

Caso esses quatro parlamentares mantiverem o posicionamento na terça-feira, a prefeita Marcia Rosa terá as contas rejeitadas pela Casa e ficará inelegível (sem poder participar de eleição) por oito anos.

 Não houve registro de quórum mínimo para votação do parecer (Foto: Matheus Tagé/ DL)

Com apenas sete vereadores em plenário, o quórum mínimo para apreciar o parecer do TCE não foi atingido ontem porque três vereadores (Wagner Moura, PT; Fábio Moura, Pros; e Fábio Alves Moreira, o Roxinho, PMDB) estavam em Brasília para acompanhar as votações da reforma política no Congresso Nacional. E Jair Ferreira Lucas, o Jair do Bar (PT), estava ausente por licença médica.

Doda pediu ontem uma solução para o impasse do adiamento das votações do parecer do TCE. Nos bastidores, é dado como quase certo que um parecer do Departamento Jurídico do Legislativo forçará a votação na próxima terça-feira. “O parecer do TCE mostra as mazelas dos gastos da Administração Municipal”.

Também revoltado com a demora para votação do parecer, Ivan Hildebrando afirmou que a Câmara “não é circo, não é a casa da mãe Joana. Temos de votar esse parecer do TCE”. Ele disse que votaria “tecnicamente” a favor do parecer do órgão “porque se fosse votar politicamente, votaria três vezes a favor desse parecer”.

Considerado um dos principais opositores do Governo Marcia Rosa, Dinho voltou a antecipar seu voto a favor do parecer. “A prefeita não tem compromisso com a população”.

A crítica de Ademário resvalou um pouco na parte pessoal da chefe do Executivo. “Essa senhora brincou com os sentimentos mais nobres da população. Por ser professora, mulher...Todos acreditaram nela”, disse, para depois adaptar uma citação cinematográfica: “Teve o ‘Rambo, programado para matar. Já este governo foi programado para fazer mazelas”, disse, ironizando sobre um dos maiores sucessos do ator Sylvester Stallone.