Justiça impede estreia de peça baseada no caso Isabella Nardoni

A decisão foi proferida sexta-feira (1º) pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, acatando pedido dos advogados da mãe da menina

Comentar
Compartilhar
02 MAR 201317h03

A Justiça proibiu a estreia da peça teatral Edifício London, escrita por Lucas Arantes, e com enredo inspirado no caso Isabella Nardoni - a menina de 5 anos que, em 2008, morreu após ser jogada do 6º andar de um prédio. A decisão foi proferida sexta-feira pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, acatando pedido dos advogados da mãe da menina, Ana Carolina Oliveira.

Em nota publicada em seu site, a Cia. de Teatro Os Satyros, responsável pela produção do espetáculo, afirma que irá adotar "todas as medidas necessárias" para fazer valer o preceito constitucional da liberdade de expressão. A companhia promete reembolsar o valor do ingresso aos que já haviam comprado. A primeira exibição da peça ocorreria à 0h de domingo (3).

'Edifício London' conta tragédia envolvendo menina de 5 anos

A tragédia familiar que ganhou notoriedade na mídia como “Caso Isabella” ganhou uma versão dramatizada, encenada pela companhia de teatro Os Satyros.

Os detalhes do crime foram acompanhados por Lucas Arantes com atenção, mesmo que à distância, já mora em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, e serviram de inspiração para escrever a peça.

Segundo o jornalista, a peça se baseia em diálogos tensos, com referências ao mito da Medeia e a Macbeth, texto do dramaturgo inglês William Shakespeare. Os diálogos acontecem entre o casal envolvido na morte e outros personagens, como um mendigo, o porteiro, um jornalista e, claro, a própria vítima.

Em março de 2010, Alexandre Nardoni foi condenado na primeira instância da Justiça de São Paulo a 31 anos, 1 mês e 10 dias de reclusão e Anna Carolina Jatobá, madrasta de Isabella, a 26 anos e 8 meses de reclusão.

Os atores Davi Tostes e Samira Lochter na peça