Jogo sensibiliza sobre a conservação de albatrozes

A ideia era criar um game que ajudasse na tarefa de sensibilizar jovens e adultos sobre a conservação de albatrozes e petréis

Comentar
Compartilhar
21 FEV 2019Por Da Reportagem08h40
Jogo foi desenvolvido em oficinas por quatro meses pelo Coletivo Jovem Albatroz e já faz parte das atividades de educação ambientalFoto: Divulgação

Atravessar o mar com seu barco de espinhel, pescar e atracar em um novo porto, causando o mínimo de mortes de albatrozes. Este é o objetivo principal do Jogo do Albatroz, board game criado pelo Projeto Albatroz, com patrocínio da Petrobras, para funcionar como mais uma ferramenta de sensibilização do público. O jogo foi desenvolvido em oficinas por quatro meses pelo Coletivo Jovem Albatroz e já faz parte das atividades de educação ambiental do Projeto.

A ideia de criar um game que ajudasse na tarefa de sensibilizar jovens e adultos sobre a conservação de albatrozes e petréis - aves oceânicas ameaçadas de extinção - surgiu do sucesso do jogo de tabuleiro gigante A Grande Viagem do Albatroz, utilizado em atividades do Ensino Fundamental I do Programa de Educação Ambiental Marinha “Albatroz na Escola”.

Nele, cada aluno representa uma ave que tem de voar longas distâncias, buscar seu alimento e alimentar os filhotes. O mapa da rota de voo se estende sobre um grande tabuleiro de lona no qual as crianças se movimentam entre as casas.

Em outubro do ano passado, a equipe de educação ambiental teve a ideia de adaptá-lo para um formato mais moderno, motivada pelo desejo de diminuir a dimensão do jogo e levá-lo para outros ambientes, divulgando-o para outros públicos. Surgia, assim, o chamamento para a construção colaborativa do Jogo do Albatroz, realizada em outubro de 2017. Nela, jovens entre 18 e 22 anos, uniram esforços com o Projeto Albatroz para fazer testes e sugerir formatos para o novo game.

“Já tínhamos em mente a intenção de transformá-lo em um jogo de mesa, mas nas conversas com os voluntários fomos ouvindo as opiniões de cada um e decidindo se os jogadores continuariam sendo aves, se seriam pescadores, e como seria toda a estrutura do jogo”, explica o responsável pelo Coletivo Jovem Albatroz, Rafael Monteiro.

Para a criação da estrutura do game, o Coletivo Jovem Albatroz contou com a ajuda de um jovem ‘mais velho’. Ricardo Silva Ratto Junior, de 35 anos, se interessou em participar do projeto devido a sua experiência com jogos de tabuleiro. Ele é o fundador do Projeto Ecobrincar, uma oficina e brinquedoteca itinerante que, desde 2013, promove educação ambiental com brinquedos e jogos artesanais feitos com materiais reaproveitados.

Testes

Depois de criada uma base para o Jogo do Albatroz, os jovens fizeram reuniões na Taverna Geek, espaço de aluguel de jogos de tabuleiro em Santos (SP). Por lá, testaram jogos cooperativos, competitivos e pediram para que frequentadores do local jogassem o protótipo do game desenvolvido pelo Coletivo Jovem Albatroz, para fins de teste.

As pessoas que jogaram deram sugestões de aprimoramento, o que agregou muito ao trabalho.