Itutinga-Pilões: um paraíso escondido embaixo da Imigrantes

O núcleo, no Parque Estadual Serra do Mar, em Cubatão, reserva trilhas e diversidade

Comentar
Compartilhar
06 FEV 2017Por Diário do Litoral17h57
Visitantes do núcleo banham-se em área conhecida como ‘Poção’, por onde passa água que vem do Rio Pilões; parque conta com inúmeras trilhas e cursos d’águaVisitantes do núcleo banham-se em área conhecida como ‘Poção’, por onde passa água que vem do Rio Pilões; parque conta com inúmeras trilhas e cursos d’águaFoto: Rodrigo Montaldi/DL

O canto dos pássaros, o barulho do curso d’água e a calmaria do verde das árvores e da vegetação nativa da Mata Atlântica destoam da pressa dos carros passando na Rodovia dos Imigrantes, que se apequena lá em cima. A visão é paradisíaca, e os visitantes, sentados nas pedras ou banhando-se no rio, parecem desconectados do mundo real. No Núcleo Itutinga-Pilões, que fica no interior do Parque Estadual Serra do Mar, em Cubatão, o lema é viver em conexão com a natureza.

“Não sabia que embaixo ‘da Imigrantes’ (rodovia) tinha uma beleza tão grande como essa. Aqui estamos tão perto e tão longe. Desconectados de tudo e sentindo essa lugar”, afirmou Daniela Clemente, que se banhava numa área conhecida como ‘poção’. A técnica em Enfermagem é moradora de Santos e aproveitava o dia de folga para conhecer o Núcleo Itutinga-Pilões.

Com o celular na mão entre as pedras e a água, a jornalista Bruna Toni registrava as suas impressões sobre o local para mais uma reportagem. “Gostei muito. É a primeira vez que venho aqui. Já conhecia o Museu do Café, em Santos, e hoje também tive a oportunidade de andar no bondinho do Centro Histórico”, destacou.

Bruna e Daniela integravam um grupo de turistas do programa Roda São Paulo – projeto do Governo do Estado que oferece passeios pelo valor de R$ 10,00 - que escolheram o roteiro com o trecho de Cubatão. Para a jornalista, especialista em reportagens na área do turismo, a Região tem grande potencial para o ecoturismo.

“Antes de atrair as pessoas de fora é necessário atrair os moradores. Trabalhar o local de forma social e cultural e depois promover a cidade para o turista, que deixa dinheiro no comércio e para as fundações e núcleos que necessitam de subsídios para manter o trabalho”, destacou.

Núcleo

O Diário do Litoral foi recebido por Patricia Rodrigues, gestora do Núcleo Itutinga-Pilões. Os visitantes do Roda São Paulo já estão aproveitando o frescor do curso d’água. Enquanto a Reportagem caminha ao encontro deles, ela revela curiosidades do local, que é rico em diversidade ambiental e abriga parte da história de Cubatão.

“Nós temos uma diversidade enorme de fauna e de flora. Já tivemos presença da onça aqui e em várias outras unidades. Assim como temos as belezas naturais também sofremos muita pressão, das rodovias e dos turistas clandestinos que acabam percorrendo em trilhas que não são permitidas”, disse Patricia. O Parque Estadual Serra do Mar faz parte de 23 municípios - oito deles abrigam o Itutinga Pilões. O núcleo possui 43 mil hectares, dos 346 mil que fazem parte do parque.

A gestora fala do trabalho realizado pela equipe do núcleo e do funcionamento do local. O parque conta com inúmeras trilhas e estas devem ser realizadas de forma monitorada. “Existem alguns riscos. Por isso que as trilhas devem ser feitas com monitor ambiental da unidade. O trabalho de trazer visitante não é só com o intuito de lazer, é, principalmente, com o intuito de educação ambiental e de consciência ambiental. De mostrar para ele porque existe isso e a necessidade de preservação”, destacou.

O trabalho de fiscalização no núcleo também é intenso. “Temos guardas e contamos com a polícia ambiental. Com essas visitações procuramos conscientizar ao máximo da proibição da caça, da pesca e de estar pegando a bromélia achando que não está cometendo um crime. Muita gente pega na inocência. Esse trabalho que realizamos através dos monitores é muito importante”, afirmou Patricia.

Parte da história de Cubatão está abrigada dentro do núcleo; a primeira cadeia do município, construída na década de 1920, ainda preserva duas celas no formato original  (Foto: Rodrigo Montaldi/DL)

Passeio

O núcleo conta com inúmeras trilhas e atrativos naturais. A visitação pública é gratuita, mas deve ser feita mediante agendamento prévio. Monitores do parque acompanham os grupos. O local, aberto de segunda a sábado, desperta o interesse de estudante e pesquisadores e conta com programações especiais. O acesso é feito pela estrada serviço da Rodovia dos Imigrantes.  

“Sem o Roda São Paulo os passeios são agendados em grupo, de no mínimo cinco pessoas, e o máximo depende do número de monitores que temos disponíveis para a data. Através do Roda São Paulo escolhemos a Trilha do Poção, um poço onde as pessoas podem tomar banho. A água vem do Rio Pilões. Temos outras trilhas como a Trilha do Rio Pilões e Trilha da Barragem, que fica em São Bernardo. Temos algumas trilhas que são na Praia Grande. No site da Fundação Florestal é possível acessar e verificar as trilhas disponíveis”, destacou a gestora.  

Antes de terminar o passeio, a gestora mostrou à Reportagem prédios datados da década de 1920 e que fazem parte da história de Cubatão. “Temos aqui o primeiro hospital da Vila de Itutinga, a primeira cadeia da Usina de Itutinga. A primeira cela de Cubatão está concentrada aqui dentro da vila. Os visitantes que vem ao núcleo têm contato com a história da região. Cubatão começou aqui na Vila de Itutinga”, destacou.

Na antiga Cadeia de Cubatão, duas celas estão preservadas no formato original. Nas salas do imóvel, os monitores do núcleo desenvolvem trabalho de educação ambiental.

Como visitar

Para conhecer o Núcleo Itutinga-Pilões o interessado deve solicitar agendamento com antecedência mínima de sete dias. As visitas devem ser agendadas previamente pelo email [email protected] ou pelo telefone (13) 3361-8250. A visitação é gratuita.