Inscrições para vacinação contra a gripe em casa é prorrogada em Santos

Medida se deve à baixa procura pelo serviço, com pouco mais de 500 inscrições até o último dia 17, data anteriormente marcada para o fim das adesões

Comentar
Compartilhar
24 ABR 2019Por Da Reportagem04h30
No ano passado, cerca de mil inscrições foram efetuadas nas policlínicas do MunicípioNo ano passado, cerca de mil inscrições foram efetuadas nas policlínicas do MunicípioFoto: Divulgação/PMS

O prazo de inscrição para a vacinação em domicílio de pessoas acamadas em Santos foi prorrogado até quinta-feira (25).

A medida, segundo a Secretaria de Saúde, se deve à baixa procura pelo serviço, com pouco mais de 500 inscrições até o último dia 17, data anteriormente marcada para o fim das adesões. O setor atribui o baixo interesse à proximidade com o feriado prolongado da Páscoa.

No ano passado, cerca de mil inscrições foram efetuadas nas policlínicas do Município. A imunização nas residências para este público será realizada neste sábado (27).

"Queremos garantir que todas as pessoas que necessitam da vacinação, as quais estão mais sujeitas à doença, sejam logo imunizadas. Por isso ampliamos o prazo de adesão", explica o chefe do Departamento de Atenção Básica (Deab), Haroldo de Oliveira Souza Filho. A inscrição, para pacientes do sistema público ou particular, deve ser feita por um familiar ou representante legal em uma das 31 policlínicas da Cidade, das 9h às 16h.

É preciso apresentar cópias do documento de identificação do paciente (RG ou CNH, por exemplo) e do comprovante de residência, além de assinar declaração de que o paciente tem limitações e necessita da vacinação em casa. Os pacientes já acompanhados pela Seção de Atenção Domiciliar (Seadomi) não precisam se inscrever e estão sendo vacinados desde o dia 15. Até o momento, mais de 700 pacientes e cuidadores foram vacinados em suas casas pelas equipes de saúde.

Meta é imunizar 117 mil pessoas

Em Santos, o público-alvo prioritário da campanha de vacinação contra a gripe é formado por 131 mil pessoas. A meta é vacinar 90% deste público, cerca de 117 mil pessoas. A vacina é produzida pelo Instituto Butantan e protege contra os vírus H1N1, H3N2 e B. Na segunda-feira (22), a segunda etapa da campanha teve início com a extensão das doses aos maiores de 60 anos, pessoas com comorbidades (hipertensão, diabetes, por exemplo), profissionais de saúde e professores.

Desde o dia 10 de abril a vacinação teve início para as crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto). Todos os que fazem parte destes grupos podem ir até 31 de maio uma das policlínicas de segunda a sexta, das 9h às 16h. Também está previsto um Dia D em 4 de maio (sábado), quando 22 unidades abrirão exclusivamente para a campanha.