Hospital de Mongaguá passa por modernização e inicia mamografias

População agora conta com um mamógrafo, o único do Litoral Sul, e outros equipamentos de ponta, além de novos centros cirúrgicos.

Comentar
Compartilhar
21 DEZ 201221h10

Mongaguá acaba de dar um largo salto na qualidade dos serviços de saúde oferecidos à população. Isso porque entrou em funcionamento nesta sexta-feira (21/12) o novo aparelho de mamografia, o único do Litoral Sul, com capacidade para 200 exames por mês. Além disso, o Hospital e Maternidade Dra. Adoniran Correa Campos passa por completa modernização e reequipamento em todas as instalações.

“Esse aparelho representa um avanço significativo para a qualidade de vida dos moradores, que antes tinham de esperar o agendamento e a locomoção para realizarem os exames nos AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades)”, ressaltou o diretor de Saúde de Mongaguá, Helder Esteves, enumerando alguns dos equipamentos adquiridos pelo hospital, dentre eles um gerador a diesel.

“Tudo novo e de primeira qualidade. São equipamentos de excelência, com alta tecnologia e conforto, que vão aprimorar os recursos de trabalho e otimizar o atendimento. O gerador, por exemplo, tem capacidade para fornecer energia para todo o hospital e, em casos de blecaute, se manter ligado por três dias. O antigo equipamento só era capaz de iluminar o centro cirúrgico”, destacou.

Os pacientes já utilizam, também, camas elétricas com colchões caixa-de-ovo, algumas adaptadas para ortopedia (masculina e feminina), macas especiais para pessoas obesas, macas de transferência acopláveis e mesas de alimentação. As gestantes contam com cama de parto e, os bebês, berços aquecidos, balanças digitais, incubadora de transporte e berços acrílicos para todas as camas da maternidade.

Mongaguá passa a contar, também, dependendo apenas de pequenas adaptações, com um aparelho de ultrassonografia com imagem em 4D, para atender especialmente as gestantes de alto-risco e a realização de ecodopler de membros inferiores. E, ainda, eletrocardiógrafo, cardiodopo, carrinhos elétricos de anestesia e emergência e respiradores mecânicos.

Outras novidades são os monitores cardíacos multiparâmetros, que medem oximetria, respiração, pressão arterial não invasiva e temperatura, além de bisturis elétricos, que cortam a pele e já cauterizam, diminuindo o risco de hemorragia ao paciente. Os centros cirúrgicos estão novos e agora contam com foco cirúrgico 360 graus com canopla esterilizada e aspirador com pedaleira.

O Hospital e Maternidade Dra. Adoniran Correa Campos passa por completa modernização e reequipamento em todas as instalações (Foto: Divulgação)

“Fico orgulhoso em ouvir pelos corredores os comentários positivos de funcionários e pacientes sobre a nova estrutura. É muito bom ver a satisfação das pessoas e escutar, por diversas vezes, que desde que o hospital foi construído nunca recebeu tantos equipamentos e tantas melhorias. Só aumenta a nossa responsabilidade e o ânimo em nos dedicarmos ainda mais em favor da população”, disse Esteves.

Esteves destacou ainda que os equipamentos, entre eles os suportes de soro, as cadeiras de banho e alguns instrumentos dos centros cirúrgicos, foram escolhidos em material inox para aumentar a durabilidade e evitar a ferrugem, além do bebedouro, que também terá pedaleira. Os funcionários do hospital foram capacitados para manusearem os novos equipamentos.

Tanto o mamógrafo quanto os demais aparelhos foram adquiridos pelo Município com recursos provenientes do Governo do Estado, na ordem de R$ 1,2 milhão. A contrapartida da municipalidade foi a reestruturação do hospital para receber os equipamentos. “Tudo está sendo finalizado com agilidade a fim de atendermos adequadamente a população nesta temporada”, finalizou o diretor de Saúde.

Se dizendo impressionada, a auxiliar de enfermagem Marli dos Santos Moura, moradora de Mongaguá há 16 anos, recordou de tempos anteriores, em que era necessário aguardar a fila de espera para realizar exames em outras cidades. “Vou assumir uma coisa: entrei em estado de êxtase quando recebi a ligação do hospital dizendo que era para eu comparecer para realizar a mamografia.”

Morando em Mongaguá há apenas dez dias, Irailde Bezerra elogiou não só a nova aquisição do hospital como todo o Sistema de Saúde da Cidade. “Eu vim de São Paulo onde há quatro anos não conseguia realizar exames. Nesses poucos dias em que estou aqui já fiz papanicolau e mamografia, já passei pelo clínico geral e até já estou com o dentista marcado.”

Satisfação

Neide Aparecida, Vera Romanezi e Vera Lucia Ruiz, todas funcionárias do hospital, são unânimes em dizer que é a primeira vez que o hospital passa por tantas intervenções positivas. “De vez em quando chegava uma mesa, uma maca, sempre individualmente. Mas essa é a primeira vez que o hospital recebe tantos equipamentos nessa proporção”, disse Vera Lucia.

Mamografia

O exame é indicado para mulheres com idades a partir dos 40 anos, mas, a partir dos 35 anos, àquelas que possuem casos de câncer na família. No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama ainda são elevadas, em muitos casos, decorrentes do diagnóstico tardio. A descoberta precoce de um tumor aumenta consideravelmente as chances de sucesso no tratamento.