Guarujá terá 'Atlas da Poluição'

Estudo analisará impacto ambiental das atividades portuárias em Vicente de Carvalho nas últimas décadas

Comentar
Compartilhar
11 DEZ 2018Por Da Reportagem16h20
Termo de cooperação foi firmado entre a Prefeitura, USP e UninoveTermo de cooperação foi firmado entre a Prefeitura, USP e UninoveFoto: Divulgação/PMG

A Prefeitura de Guarujá e as universidades de São Paulo (USP) e Nove de Julho (Uninove) firmaram na última segunda segunda-feira (10) um termo de cooperação para a produção do Atlas da Poluição – um estudo que analisará o impacto ambiental das atividades portuárias em Vicente de Carvalho nas últimas décadas.

O estudo terá dois anos de duração, e será o maior já feito sobre o tema. Na prática, será feito o rastreamento e monitoramento da poluição atmosférica utilizando um bioindicador: as bromélias. Ao longo de dois anos, serão aproximadamente 2.500 amostras espalhadas por diversos cantos de Vicente de Carvalho e em florestas urbanas, como a Serra do Guararu.

"Essas plantas serão renovadas mensalmente, e serão submetidas as análises químicas. Os poluentes aderem nas folhas dessa bromélia, também chamada de 'barba de bode', criando uma espécie de armadilha", afirma a pesquisadora Andreza Portella Ribeiro, química e professora da Uninove.

Segundo o pesquisador Maurício Lamarco Ferreira, biólogo e também professor da Uninove, será analisada a sazonalidade da poluição e traçado paralelo com indicadores de saúde.

"Vamos analisar se há picos de poluição, já que Guarujá tem aumento populacional durante a temporada de verão, e a incidência de doenças respiratórias nos pontos de maior concentração de poluentes", afirma Lamarco.Paralelamente, para traçar a cronologia dessa poluição, a equipe de pesquisadores também utilizará as árvores existentes no distrito.  "Traçaremos esse histórico por meio dos anéis de crescimento das árvores", afirma ele.

A intenção é que o Atlas da Poluição sirva de base para o planejamento de políticas públicas. "As árvores são filtros biológicos, e mais para a frente a ideia é trazer o cálculo de quanto a Cidade pode ganhar investindo na arborização, o que reflete diretamente na saúde da população".

O secretário de Meio Ambiente, Sidnei Aranha, se mostrou emocionado com a iniciativa. "Estou muito feliz em ver a expertise da academia sendo trazida para dentro da Administração Pública. Precisamos do patrimônio intelectual da universidade para avançar, e esse é um estudo extremamente importante para nossa Cidade".

O prefeito de Guarujá, Válter Suman, também destacou a importância do estudo. "Não dá para falar em desenvolvimento sem preservação do meio ambiente. Somos filhos do universo, e cada um de nós aqui estamos cumprindo nossa porção beija-flor, ajudando a apagar esse grande incêndio".

Doação Fundação SOS Mata Atlântica

Também na última segunda-feira (10), a Fundação SOS Mata Atlântica doou à Prefeitura equipamentos eletrônicos que ajudarão na gestão participativa junto à Área de Proteção Ambiental (APA) da Serra do Guararu.

"Temos um programa de apoio às áreas de conservação e marinhas. Desde o início dos anos 2000 temos apoiado o fortalecimento e a gestão da APA Municipal por meio de editais. A entrega desses equipamentos faz parte desse projeto maior", afirma Márcia Hirota, diretora executiva da fundação.

Esses equipamentos proporcionarão a realização de um vídeo, que será utilizado para fomento da educação e informação nas comunidades que vivem na Serra do Guararu.