Guarujá tem ação para sanar pontos de alagamentos e enchentes

Em 2018 foram 1.800 bueiros desobstruídos e 86 canais amplamente limpos. Até o final do ano, Município inicia a macrodrenagem da bacia do Rio Santo Amaro, no bairro Santo Antônio

Comentar
Compartilhar
23 ABR 2019Por Da Reportagem16h01
Prefeitura vem trabalhando para manter limpos bueiros e galerias nos vários bairros da CidadeFoto: Divulgação/PMG

Sem medir esforços para sanar problemas de enchentes e alagamentos em dias de chuva, a Prefeitura de Guarujá, por meio das Secretarias de Planejamento (Seplan) e de Serviços Urbanos (Seurb), vem trabalhando para manter limpos bueiros e galerias nos vários bairros da Cidade, para que as águas pluviais possam fluir melhor e livrar o Município dos impactos causados por grandes volumes de chuva.

A medida faz parte de um esforço da Prefeitura, empreendido nos últimos dois anos, para combater as enchentes, tendo em vista que todo sistema hidráulico de macro e microdrenagem estavam abandonados por mais de 20 anos.

Mas, independente desse trabalho permanente de limpeza de canais, valas e bueiros, a atual administração municipal foi buscar recursos na esfera federal para sanar definitivamente o problema, que afeta vários pontos do Município, principalmente os bairros Santo Antônio, Santa Rosa e adjacências, para realizar duas grandes obras de macrodrenagem e infraestrutura, que juntas somam mais de R$ 150 milhões.

Em janeiro deste ano, Guarujá garantiu recursos no valor total de R$ 214 milhões, para três grandes obras, sendo duas delas de macrodrenagem e infraestrutura, por meio de convênio assinado entre o Município e Caixa Econômica Federal.

Parte desse montante, ou seja, pouco mais de R$ 77 milhões foi destinada à macrodrenagem da bacia do Rio Santo Amaro, no bairro Santo Antônio, cujas obras estão previstas para começar no final deste ano e que se estenderão por dois anos. Esses recursos são provenientes de convênio, que integra o programa Avançar Cidades, do Ministério das Cidades.

De acordo com a Seplan, todo ano a Prefeitura de Guarujá terá que elaborar e apresentar  um projeto de macrodrenagem. O primeiro, do Rio Santo Amaro, foi entregue este ano; o segundo, da bacia do Rio do Meio será entregue em 2020 e, assim, sucessivamente, até completar 11 bacias hidrográficas da Cidade. Esses projetos são motivo de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que o Município tem que cumprir.

Outro convênio, também de valor aproximado de R$ 77 milhões, financiados por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), será destinado à macrodrenagem da Bacia do Rio do Meio, no bairro Santa Rosa; e infraestrutura viária das ruas do Jardim Las Palmas, Santa Rosa I, II e III, Jardim Helena Maria e Vila Lygia, cuja obra está em fase de licitação do projeto executivo.

Conforme explica o titular da Seplan, Darnei Cândido,  Guarujá tem um sistema  hidráulico de macro e microdrenagem superficial e ainda possui vários pontos de alagamentos. Porém, há muitos anos a Cidade não via um trabalho de manutenção tão dedicado como agora.

"Nossa expectativa é de que quando forem concluídos os serviços de limpeza de bueiros, galerias, desassoreamento de canais e bocas de lobo, já vamos ter uma Cidade em que as águas pluviais vão fluir muito melhor e assim, teremos uma redução significativa dos pontos de alagamentos", ressalta.

Além disso, o secretário destacou importantes obras que colocarão fim a todos esses problemas. "Somado a tudo isso que vem sendo realizado pela Seurb, as obras de macrodrenagem da bacia do Rio Santo Amaro, Rio do Meio e, agora sucessivamente outros rios da Cidade como o Rio do Peixe, Acaraú, Crumaú, entre outros, vamos ano a ano, garantindo que Guarujá deixe de ser assolada por alagamentos e enchentes", pontuou.

Limpeza de canais, bueiros e galerias

Independente das obras de macrodrenagem, que ainda serão iniciadas, a Prefeitura de Guarujá, por meio do trabalho conjunto da Seplan e Secretaria de Serviços Urbanos (Seurb), fez nos últimos dois anos um planejamento para minimizar os efeitos das fortes chuvas e recuperar o meio ambiente, mantendo limpas galerias, bueiros e canais da Cidade.

Para prevenir alagamentos, a Seurb desenvolveu uma intensa ação de limpeza de canais e desobstrução de bocas de lobo. Em junho do ano passado, a Prefeitura adquiriu três caminhões hidrojatos para uso da Seurb, a fim de ampliar a execução de limpeza de bueiros em vários bairros do Município e do distrito de Vicente de Carvalho.

Com essas aquisições, o número de pontos atendidos, por mês, saltou de 35 para 150, configurando um aumento de 328%. No último ano foram 1.800 bueiros desobstruídos e 86 canais amplamente limpos.

Segundo informa a Seurb, a fluidez das águas pluviais aumentou significativamente com a retomada desses serviços, que há anos não eram realizados.

"Quando assumimos a gestão, em 2017, nos deparamos com uma situação caótica devido a grande quantidade de pontos de alagamentos registrados naquele ano. Por isso, em janeiro de 2018, traçamos estratégias para ampliar o escoamento de águas pluviais", pontuou o secretário de Operações Urbanas, Hassen Hammoud.

No intervalo de um ano, 90 mil metros cúbicos de canais receberam serviço de desassoreamento, volume que preencheria 36 mil piscinas olímpicas. Já em relação às caixas coletoras, a Seurb informa que mais de 1.800 caixas coletoras foram desobstruídas, representando um total de 5.200 metros cúbicos.

As ações são executadas pontualmente em todos os bairros de Guarujá e de Vicente de Carvalho, seguindo um cronograma estipulado pela secretaria municipal.