Fins de semana terão catamarã na travessia Santos/Guarujá

Presidente da Dersa inaugurou nova embarcação. Com as novas lanchas, está sendo realizada a retirada gradual das antigas embarcações

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201411h15

A população que utiliza a travessia de pedestres entre Santos e Guarujá vai poder contar, a partir de agora, com o transporte nas novas lanchas da Dersa, mais confortáveis e climatizadas, aos finais de semana. A garantia é do presidente da empresa, Laurence Casagrande Lourenço, que esteve ontem na região para a cerimônia de inauguração de uma nova embarcação, o terceiro catamarã a entrar em funcionamento.

Reivindicação dos usuários, as novas lanchas catamarãs para transporte de pedestres, que fazem a travessia entre Vicente de Carvalho, em Guarujá, e a Praça da República, no Centro de Santos, não eram colocadas em atividade durante os finais de semana. A primeira delas foi inaugurada em agosto do ano passado. Aos sábados e domingos, as embarcações antigas faziam o percurso.

Lourenço justifica a retirada das lanchas novas de funcionamento durante os dois dias: “Elas (as embarcações) navegam todos os dias da semana, mas aos finais de semana eu tenho que retirá-las de circulação para fazer a manutenção”.

O presidente da Dersa garante que com a terceira lancha em curso, terá um revezamento e sempre haverá uma das novas embarcações fazendo a travessia aos sábados e domingos. “Menos durante a madrugada, quando a demanda de usuários é muito menor e não justifica colocar um catamarã em atividade”, diz Lourenço. 

Catamarãs têm capacidade para 370 passageiros (Foto: Luiz Torres/DL)

Cada embarcação tem capacidade para 370 passageiros, com acesso para cadeirantes e espaço reservado para o transporte de bicicletas. Além disso, a lancha é equipada com ar condicionado, poltronas com encosto de cabeça, sistema interno de televisão e câmeras de segurança.

Até março, Lourenço promete a inauguração da quarta e última lancha catamarã para o trecho de travessia.

Substituição

Com as novas lanchas, a Dersa está realizando a retirada gradual das antigas embarcações. Em agosto do ano passado, quando o primeiro catamarã entrou em funcionamento, a lancha Cubatão, de 1978, saiu de serviço.

Agora, com o funcionamento de três novas embarcações, as lanchas Adhemar de Barros, de 1963, e Piaçaguera, de 1979, também são retiradas.

A Dersa deve manter uma das lanchas antigas em funcionamento para realizar as travessias durante as madrugadas, já que elas têm capacidade menor do que os catamarãs.

Solução habitacional

Durante a visita de ontem à Baixada Santista, o presidente da Dersa também comentou sobre a implantação do túnel submerso que ligará Santos e Guarujá, que tem causado polêmica entre os moradores dos bairros que sofrerão com as desapropriações nas duas cidades. Laurence Casagrande Lourenço afirma que soluções habitacionais estão sendo estudadas com os prefeitos dos dois municípios.

A ligação seca deve desapropriar pelo menos 150 pessoas do bairro do Macuco, em Santos, com a implantação do equipamento. Lourenço afirma que a Dersa está em tratativa com a Prefeitura para realocar esses moradores, mas ainda não há projeto definido. O presidente ressalta que as obras do túnel devem chegar ao Município em 2016.

Em Guarujá, 1.500 pessoas devem ser reassentadas para projetos habitacionais. Tais projetos já foram elaborados anteriormente pela Prefeitura e o presidente da Dersa afirma que a empresa vai entrar com recursos junto a Administração para a construção das moradias.

A previsão de Lourenço é de que as obras do túnel comecem em julho deste ano.