Finados: homenagem com flores nos cemitérios requer cuidados

Agentes do Departamento de Controle Vetoriais de São Vicente dão dicas para evitar a formação de criadouros para o Aedes aegypti

Comentar
Compartilhar
31 OUT 2019Por Da Reportagem19h01
São necessários alguns cuidados para evitar a formação de criadouros do mosquito Aedes aegyptiFoto: Agência Brasil

Muitas pessoas costumam levar flores aos cemitérios no Dia de Finados como forma de homenagear os entes queridos já falecidos.  No entanto são necessários alguns cuidados para evitar a formação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya.

O Departamento de Controle de Vetores de São Vicente, ligado à Secretaria de Saúde (Sesau) atua no combate ao mosquito, realizando ações de conscientização. Confira as dicas dos agentes específicas para os cemitérios:

- Embalagens plásticas, suportes para velas colocadas nos túmulos, copos plásticos e os próprios jazigos podem servir de criadouros para as larvas dos mosquitos. Na hipótese de uso de vasos, a recomendação é preenchê-los com areia ou substituí-los por modelos que não acumulam água – fazer furos nos vasos também ajuda. As flores podem ser plantadas diretamente na terra. É recomendável evitar plantas que podem reter água entre as folhas, como as bromélias, por exemplo.

- É recomendado retirar as embalagens plásticas dos vasos e não utilizar cachepôs ou objetos que acumulem água sobre os túmulos, além de realizar o reparo com frequência da sepultura evitando saliências ou buracos.