Banner gripe

Fim da reforma dos centros esportivos só em 2013

As obras nos equipamentos de Cubatão começaram com atraso

Comentar
Compartilhar
27 NOV 201211h29

Durante as férias escolares e alta temporada, em dezembro e janeiro, Cubatão continuará órfã de dois importantes equipamentos públicos para o lazer da população. 

A reforma dos centros esportivos Edivaldo Oliveira Chaves, o “Pita”, na Vila Nova, e Armando Cunha, no Jardim Casqueiro, já começou com atraso, diferentemente do que a própria Prefeitura de Cubatão divulga em seu site. Os dois ambientes devem ser entregues só em abril de 2013.
 
No site da Administração Municipal, a última matéria sobre a remodelação dos dois equipamentos é de julho deste ano, com o seguinte título: “Começam as reformas e remodelação dos Centros Esportivos Armando Cunha e Pita”. 
 
No entanto, em questionamento enviado ontem à Prefeitura a respeito do andamento das obras, a assessoria de imprensa informou que elas começaram com atraso. A unidade do bairro Vila Nova começou a sofrer alterações em setembro e a do Casqueiro, em outubro.
 
No texto, publicado no site da prefeitura no dia 12 de julho, a prefeitura afirma ainda que as obras já estavam em andamento. “No Armando Cunha foram iniciadas as obras de reforma e remodelação sob a responsabilidade da empresa Impacto Gouveia”, diz o trecho.
 
Com recursos da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem), a reforma do Pita este orçada em R$ 1,9 milhões. As obras consistem na substituição do piso da quadra, troca do telhado, melhorias dos vestiários e acessibilidade. O prazo para conclusão é de sete meses, contados a partir de setembro. Até agora, 30% dos serviços foram concluídos, segundo a Prefeitura de Cubatão. 
 
Já para o Centro Esportivo Armando Cunha, no Jardim Casqueiro, a Agem desembolsou R$ 1,6 milhões. Com início das obras em outubro, apenas 10% dos trabalhos foram realizados. A reforma desse equipamento se resume a substituição do telhado da área administrativa, cobertura das piscinas, melhorias nos vestiários e acessibilidade. O prazo para entrega é de seis meses, que deve coincidir com a conclusão do Pita, afirma a Administração Municipal.

Com atraso, reforma da unidade do Jardim casqueiro começou em outubro (Foto: Matheus Tagé/DL)

Colunas

Contraponto