Falta água no conjunto habitacional Cruzeiro do Sul II

Conjunto habitacional reclama que a água não chega nas torneiras e de outros problemas. A CDHU enviará uma equipe ao local para verificar as reclamações dos moradores

Comentar
Compartilhar
31 JAN 201410h36

O que está faltando de água, sobra de gordura. Os moradores do conjunto habitacional Cruzeiro do Sul II têm muito que reclamar. “Sabe o que é você ver a sua filha chorando por não poder tomar um banho ou pedindo um copo com água. Vocês não imaginam o que a gente passa aqui”, emociona-se a síndica do condomínio e varredora, Joselma Lima da Silva.

Segundo os moradores, que assim que viram a Reportagem do Diário do Litoral se aproximaram para reclamar, desde o último dia 27 de dezembro, há problemas na distribuição de água do prédio. “Aqui só tem água de madrugada. Durante o dia não temos água nem para dar banho nas crianças”, reclama a ajudante de cozinha, Angélica Cristina dos Santos.

Angélica ainda enfrenta outro problema em seu apartamento. Segundo a ajudante, desde que ela foi morar no local, há mais de um ano, tem que tomar banho com baldes. “Se eu ligar o chuveiro sem os baldes, minha casa é inundada. A água não tem para onde ir”, explica.

Uma empresa desentupidora vai até o prédio todo mês para desentupir o encanamento do condomínio e, no caso de Angélica, o problema está na construção do prédio. “Todo mês nós pagamos R$ 2,5 mil para desentupir o encanamento. Eles foram ao apartamento da Angélica e disseram que o problema é na construção, o que seria um problema da CDHU”, explica a síndica.

moradores afirmam que há problemas na distribuição de água do prédio desde o último dia 27 de dezembro (Foto: Matheus Tagé/DL)

“Imagina minha situação: sem água a maior parte deste mês e ainda com o encanamento entupido. Tenho três crianças, por causa do entupimento, aparecem larvas na minha casa. Não sei mais o que fazer”, lamenta Angélica.

A falta de uma caixa de gordura no prédio é uma das principais causas do entupimento da rede de esgoto. “Eles estão usando o dinheiro de forma errada. Deveriam construir uma caixa de esgoto e parar de jogar lixo no encanamento. Nós viemos fazer alguns serviços na rede de esgoto e encontramos absorventes íntimos e preservativos obstruindo a passagem”, explicou o gerente da Sabesp na Região, Sérgio Bekerman.

A CDHU foi contatada para falar sobre o problema de entupimento e a falta de caixa de gordura, mas respondeu que devido ao horário, não poderia informar de forma completa e precisa. Por isso, “a CDHU enviará uma equipe ao local para verificar as reclamações dos moradores. Após relatório dos técnicos a Companhia enviará posicionamento ao jornal”, informou através de nota.

Água

Apesar da reclamação da Angélica, a maior reclamação do condomínio é a falta de água nos apartamentos. O problema? Falta de pressão. Segundo Bekerman, é comum que, em épocas quentes e de alto consumo, a pressão da água diminua. “É preciso usar o meio de forma inteligente. Eliminar vazamento, juntar roupas e louças para serem lavadas de uma vez só e tomar várias medidas para preservar o bem”, aconselha o gerente.

Ontem, o gerente foi ao local com um caminhão pipa para atender ao pedido do vereador Antonio Carlos Banha (PMDB), que solicitou uma solução para o problema, e também para solucionar a falta de água momentaneamente. Bekerman explicou que a entrada da caixa é muito alta (15 metros) e que ela precisa ser diminuída para que a pressão obtida consiga encher a caixa d’água.

Para resolver o problema, o coordenador de obras da Regional dos Morros, Antônio Carlos Bressane, se comprometeu a fazer as intervenções necessárias para resolver o problema. “Hoje mesmo vou voltar até o local com outros técnicos para analisar o que vamos fazer e começar a obra”, garante.