SABESP AGOSTO DESK TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Estrada Guaraú-Una, em Peruíbe, pode ser repassada para o DER

Projeto vai tramitar em agosto na Assembleia Legislativa de São Paulo

Comentar
Compartilhar
22 JUL 2020Por Carlos Ratton07h00
Estrada Guaraú-Una é muito importante ao turismo ecológicoFoto: Divulgação

Em agosto, deverá tramitar na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), pelas mãos do deputado estadual Paulo Corrêa Júnior (Patriota), um projeto de lei ao governador João Dória (PSDB) para transformar a estrada vicinal Guaraú - Una em intermunicipal, passando a responsabilidade de sua manutenção da Prefeitura de Peruíbe para o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) que, em tese, seria o órgão mais capacitado a manter esta estrada transitável sem os atropelos diários enfrentados pelos moradores.

"O objetivo desse projeto é ajudar de alguma forma a melhorar aquele trecho que precisa de constante manutenção. Em dias de chuva, por exemplo, o trecho fica completamente desgastado e acaba não sendo cuidado da maneira devida, já que não há recursos financeiros municipais para realizar a conservação da via. A maneira de viabilizar isso é passar o domínio da estrada ao DER, assim a ligação entre Peruíbe e Iguape ganhará mais estrutura, pois o Estado tem melhores condições de conservar a estrada", afirma Paulo Corrêa.

A Estrada do Guaraú tem cinco quilômetros de extensão e foi construída há mais de 40 anos (inaugurada em janeiro de 1978). Projetada para dar vazão apenas ao pequeno trânsito local, a pista viu seu movimento crescer em função das belezas naturais da Juréia e passou a receber um maior fluxo de veículos de turistas. Hoje, a estrada está obsoleta e necessita de uma ampla intervenção. Estimativas recentes indicam que mais de duas mil pessoas moram nos bairros Guaraú e Barra do Una, tendo a estrada como única ligação com o restante da Cidade.

Mongue

A ideia partiu da Mongue Proteção ao Sistema Costeiro, organização sem fins lucrativos, declarada de utilidade pública, representada pelo munícipe Plínio Melo. Para se tornar intermunicipal e ficar sob responsabilidade do Estado, a Guaraú-Una depende de um decreto estadual, nos parâmetros do Nº 53.146/08 que define os parâmetros para a implantação, gestão e operação de estradas no interior de Unidades de Conservação de Proteção Integral no Estado de São Paulo.

"Nossa cidade padece, há anos, de alguns problemas recorrentes, que vão e voltam consumindo grandes quantidades de dinheiro público e tumultuando a relação entre o poder constituído e a população. Um deles é a manutenção da estrada de acesso à Vila da Barra do Una, Perequê, Barro Branco, Tocaia, Caramborê e Itinguçu. Esta última comunidade localizada no município de Iguape, mas com único acesso através da Estrada Guaraú-Una, já conferindo a esta estrada as características de intermunicipal", afirma Melo.

O munícipe enfatiza que não se trata de estrada que cruza a unidade de conservação. Mas do único acesso a seis comunidades tradicionais inseridas no interior das unidades de conservação categorizadas como Reserva de Desenvolvimento Sustentável da Vila da Barra do Una e Parque Estadual do Itinguçu, importantes pontos turísticos situado nos municípios de Peruíbe e Iguape, que têm como único acesso a Estrada da Barra do Una.

"Não raro, na estação das chuvas, a estrada sofrer interrupções impedindo o acesso de crianças e adolescentes à escola assim como, acesso a médicos, farmácia, serviços de assistência social. Trata-se de um caso inadmissível nos dias atuais. A cada chuva, inúmeros alagamentos criam atoleiros impedindo a passagem de veículos pequenos e, principalmente, o trafego de ônibus coletivos e escolares. Anualmente duas ou três ações emergenciais, repetidas, consumindo milhares de reais do poder público sem, contudo resolver o problema", finaliza o munícipe.

A Mongue acredita que o atendimento do pedido fortalecerá a vocação do turismo ambiental, assim com a geração de renda e emprego de várias comunidades que se valem do turismo como única fonte de renda, pois a estrada está localizada no interior da Reserva de Desenvolvimento Ambiental da Barra do Una, uma unidade de conservação de uso sustentável e do Parque Estadual do Itinguçu, unidade de conservação de proteção integral, que não permitem outras atividades, senão o turismo, pesquisa e educação ambiental.