Cubatão: merenda será mantida com novo emergencial

O contrato emergencial (sem licitação) com a Cheff Grill, empresa responsável pelo preparo e fornecimento da merenda escolar, termina amanhã (27)

Comentar
Compartilhar
26 ABR 2018Por Da Reportagem08h00
A Administração garante que foram realizadas consultas a três empresas diferentes a fim de não perpetuar uma única empresa para contratos emergenciaisFoto: Agência Brasil

Como adiantado ontem pelo Diário, a Prefeitura de Cubatão confirmou que contrato emergencial (sem licitação) com a Cheff Grill, empresa responsável pelo preparo e fornecimento da merenda escolar termina amanhã, porém, que a Cidade já contará com novo contrato, também emergencial, a fim de assegurar já, na próxima semana, a alimentação das ­crianças.  

Leia também:
Merenda escolar de Cubatão pode ser suspensa

A Administração explica que a licitação foi aberta em outubro, com tempo hábil para conclusão de um recadastramento de alunos, que identificou que o número real é de cerca de 16,7 mil estudantes na rede municipal em vez dos 18,5 mil como era a estimativa anterior.

No entanto, o certame foi suspenso pelo Tribunal de Contas do Estado, e o Poder Público não pode deixar de assegurar alimentação aos alunos da rede. A Administração garante que foram realizadas consultas a três empresas diferentes das ­apresentadas anteriormente, a fim de não ­perpetuar uma única empresa para contratos ­emergenciais.  

O contrato com a Cheff Grill foi firmado em maio do ano passado por seis meses pelo valor de R$ 8.855.394,00. A empresa também é responsável pela limpeza nas unidades de educação do Município.

Vale lembrar que em 2016, 150 merendeiras contratadas pela Cheff Grill paralisaram os serviços, no dia 2 de agosto, em Peruíbe (onde também possui contrato), devido ao atraso no pagamento de salários e ­férias.

Também foi detectado um estudo da Comissão Pró-Índio, entidade que atua junto às comunidades indígenas de Peruíbe, que revela divergências entre o cardápio oficial e o oferecido nas escolas, além de detalhes dos valores nutricionais da merenda, que não atendiam as diretrizes do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).