Com aumento do calor, Samu registra mais chamados

Prova disso é que a central do Samu em Santos está recebendo 13% mais chamados do que em meses anteriores.

Comentar
Compartilhar
22 DEZ 201216h36

A proximidade do verão, quando se intensificam as altas temperaturas e aumenta o fluxo de pessoas na região, também resulta em maior número de casos de mal súbito, acidentes de trânsito e domésticos. Prova disso é que a central do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em Santos - responsável pela regulação dos casos de urgência e emergência no município, além de Guarujá e Bertioga - está recebendo 13% mais chamados do que em meses anteriores.

Em novembro e início deste mês o serviço recebeu uma média diária de 204 chamados telefônicos. Em setembro e outubro eram 180 solicitações por dia. De acordo com a médica Cláudia Fernandes, responsável pela central do Samu, 50% dos casos são intercorrências clínicas, como desidratação, desmaios, hipoglicemia (pouco açúcar no sangue), hipertensão (pressão alta), problemas cardíacos, entre outros.

“Por isso recomendamos uma maior atenção com o calor e suas consequências, principalmente em crianças, idosos e pessoas com problemas crônicos. É preciso se hidratar constantemente, consultar um profissionais de saúde e seguir à risca as recomendações médicas”. Segundo Cláudia, nesta época também há maior número de intercorrências externas, como acidentes domésticos com crianças, acidentes de trânsito e quedas de idosos, que representam mais de 15% dos chamados. “Esses casos são muitas vezes consequência do maior número de turistas e do período de férias escolares”.

A central do Samu abrange uma população de cerca 760 mil pessoas numa área de 913 km². Desde o início do seu funcionamento, em 13 de agosto de 2011, foram recebidos 92.170 chamados telefônicos. Deste número, 54% são de Santos. Na cidade o serviço teve início com cinco ambulâncias cedidas pelo Ministério da Saúde. A administração municipal ampliou o atendimento com mais quatro veículos da frota própria e, atualmente, o trabalho conta com até nove ambulâncias, sendo uma de suporte avançado e as demais básicas.

A Secretaria Municipal de Saúde já solicitou ao governo federal o envio de mais três ambulâncias (uma avançada e duas básicas). A prefeitura também comprou outras três unidades e aguarda até janeiro a entrega pela empresa fornecedora. Somente no município atuam 140 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, radioperadores, atendentes, motoristas e funcionários administrativos.

A central está recebendo 13% mais chamados do que em meses anteriores (Foto: Divulgação)

Como acionar

O SAMU (telefone 192) funciona 24 horas e trabalha de forma integrada com o Corpo de Bombeiros (193). A central 192 deve ser acionada nos casos de acidentes de trânsito com atropelamento, acidentes vasculares encefálicos (derrame cerebral), suspeita de parada cardíaca, dor súbita no peito, crise convulsiva, queda acidental, desmaio, intoxicações, envenenamentos, queimaduras, sangramentos – hemorragias, ferimentos com objetos penetrantes, traumas (tórax, abdômen, crânio e fraturas) e trabalho de parto.

Os casos de acidentes de trânsito com pessoas presas em ferragens, tentativas de suicídio, incêndios, salvamentos aquáticos, desabamentos e choques elétricos, são atendidos em conjunto com a central 193 (Bombeiros).

Os casos mais graves têm prioridade de atendimento e, por isso, é fundamental que a pessoa solicitante mantenha a calma e preste todas as informações pedidas pelos técnicos atendentes e/ou médicos.