Cesprom homenageia e incentiva alunas do curso de Corte e Costura

Instituição contou com o apoio da Prefeitura para incentivo ao empreendimento das mulheres

Comentar
Compartilhar
04 JUN 201411h56

Na última quinta-feira (29), o Centro Scalabriano de Promoção do Migrante (Cesprom) homenagiou as integrantes do curso de Corte e Costura pelo Dia da Costureira, celebrado no último dia 25. Além das dedicatórias, a instituição contou com o apoio da Prefeitura para incentivo ao empreendimento das mulheres.

A coordenadora da Assessoria de Políticas Públicas para Mulheres, Eugênia Lisboa, considerou o evento uma oportunidade para orientar as mulheres, que se formarão em julho como profissionais de Corte e Costura, a buscar independência. “É um momento de falar com as mulheres sobre seu futuro. Sobre como usar esta capacitação como fonte de renda pessoal e para a família”, explicou.

A representante da Sala do Empreendedor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Portuário (Sedep) de Guarujá, Luciane Vieira Matos, falou às alunas sobre a lei municipal que beneficia microempreendedores individuais (MEI) e suas facilidades, a fim de incentivar a formalização. “É importante que elas saibam que a formalização abre várias portas. Além do aumento de renda, garante benefícios como licença maternidade e aposentadoria”, explicou.

(Foto: Raimundo Nogueira/PMG)

Já a gestora do Banco do Povo do Guarujá, Solange Salgado, falou sobre as facilidades que o órgão dispõe para trabalhadores formalizados pelo MEI. “É gratificante estar aqui mostrando a estas profissionais a oportunidade de crescer”.

A aluna do curso de Corte e Costura, Aline Santana Oliveira Silva, tem várias expectativas. “Todo este suporte nos dá mais confiança em seguir em frente e investir em capacitação”.

Para a professora do curso, Maria Iracema Santos de Souza, a homenagem as alunas e os incentivos da Prefeitura são a compensação de seu trabalho. “Vê-las felizes em busca de um futuro independente e todo este incentivo já é meu pagamento”, ressaltou. Já a assistente social da Cesprom, Rosemary de Souza, disse: “É fundamental que estas mulheres conheçam novas propostas e as facilidades de ter a quem recorrer”.