Cartão pré-pago pode ser solução para endividados

Nova modalidade para compras não precisa de vínculo bancário e nem ter nome limpo; sistema funciona como cartão de recarga de celular

Comentar
Compartilhar
07 ABR 201410h10

Já imaginou um cartão de crédito com controle absoluto para o que pode gastar? Seria uma solução dos sonhos para pais que querem controlar a mesada dos filhos ou maridos que querem puxar o freio nas compras das esposas (ou vice-versa).

No entanto, já há no mercado uma forma de controlar os seus gastos e diminuir a chance de se endividar com a bola de neve que é um cartão de crédito convencional. Esta opção é o cartão pré-pago, que está disponível para venda nas redes varejistas, como gôndolas de supermercados, e não precisa de vínculo bancário ou ter nome limpo. É só comprar, recarregar com o valor desejado entre R$ 10 e R$ 5 mil e começar a usar.

“Isso começou nos Estados Unidos, em 2000, com os imigrantes mexicanos que não conseguiam ter conta em banco no País e começaram a utilizar os cartões pré-pagos. Desde então, o mercado foi crescendo. Com a crise na economia americana em 2008, o mercado explodiu. Então, o conceito se difundiu pelo mundo”, explicou a diretora do Comercial, Produtos e Marketing da empresa Acesso, Flávia Deutsch, acrescentando ainda que, no Brasil, os cartões pré-pagos começaram a surgir em 2012.

Em recente pesquisa do Instituto Brasileiro de Estudos Sociais, Política e Estatística (Ibespe) realizada com moradores do litoral de São Paulo identificou a Baixada Santista como o local onde residem mais endividados. O estudo apontou que 56% dos moradores entrevistados disseram ter dívidas atrasadas, contra 43% que afirmaram ter controle das finanças. Isso sem falar nos “desbancarizados”, que não possuem conta em banco por ter o nome negativado. “Estes sempre usam a conta da vizinha ou da tia para fazer compras. Tem muita gente negativada no País e os trabalhadores formais geralmente recebem em dinheiro e não em depósito em conta. A gente se prende muito no que vemos no Sudeste, em que a maioria tem cartão de crédito e débito, mas em outras regiões do País a situação é diferente”, conta.

Cartões podem ser encontrados em gôndolas de supermercados (Foto: Divulgação)

Outro estudo, realizado em 2013 pelo Instituto Data Popular, constatou que 55 milhões de brasileiros não guardam suas reservas em bancos, mas mesmo assim movimentam R$ 665 bilhões ao ano. Essa população fica impossibilitada de realizar compras pela internet e são obrigadas a pagar todas as suas contas e compras com dinheiro em espécie. “Se nos Estados Unidos, que têm fatores econômicos melhores, o cartão deu certo. Por que não trazer este serviço para o Brasil?”, justifica a diretora.

Como funciona

A opção pré-paga funciona como um celular. É só adquirir um cartão e o carregar com o saldo que for conveniente para o usuário. Com o cartão carregado, o consumidor pode realizar compras, pagar contas, entre outros. O cartão pré-pago possibilita a qualquer pessoa ter um meio eletrônico de pagamento, independente de possuir ou não conta corrente, comprovação de renda, restrições de crédito e outros requisitos, que até o momento impediam uma grande parcela da população brasileira de ter acesso a todas as vantagens que os cartões oferecem. “Isto significa passar a poder fazer compras pela internet, enviar ou receber depósitos de outras pessoas, sacar em caixas eletrônicos e aproveitar as promoções da bandeira de aceitação, sem falar na facilidade, conveniência e segurança que o instrumento proporciona”.

Segundo a diretora, o mercado de cartões pré-pagos está crescendo no Brasil. Calcula-se que, entre 2015 e 2017, o segmento movimente US$ 18 bilhões no País. O volume seria então nove vezes maior que os atuais US$ 2 bilhões, gastos – principalmente – com viagens e no pagamento de refeições. Os dados são de um levantamento realizado pela MasterCard em parceria com a Boston Consulting Group.

Hoje, esses cartões podem ser adquiridos pela internet ou em grandes varejistas, lojas de conveniência e lojas de entretenimento. Segundo Deutsch, a opção de colocar o cartão nos grandes varejistas é facilitar a chegada do mesmo as mãos dos milhares de consumidores que passam diariamente por essas instituições, facilitando e incluindo social e economicamente muitos brasileiros. “A Baixada Santista tem um enorme potencial de crescimento do mercado pré-pago. Na região temos mais de 30 pontos de venda do Acessocard. Atualmente temos 400 mil cartões emitidos em todo Brasil. Até o fim do ano pretendemos chegar a um milhão”, conclui a executiva.

Confira abaixo os principais usos dos cartões pré-pagos no Brasil:

Cartões presente

Essa é, provavelmente, a modalidade mais conhecida de cartões pré-pagos. São comprados e carregados com créditos para a utilização na mesma loja. Novas opções que começam a aparecer. É de cartões de presentes vinculados a alguma operadora de cartão (Visa ou Mastercard, por exemplo) e que podem ser aceitos em todos os lugares que aceitam cartões. Podendo inclusive, realizar compras online com eles.

Cartões mesada, educação financeira e controle de gastos.

O cartão pré-pago pode ser utilizado também para controle de mesada e gastos dos filhos. Como uma forma de ensinar crianças e adolescentes a utilizar com consciência o dinheiro. Os pais têm acesso à movimentação completa de cada cartão pré-pago que emitirem, evitando surpresas com a fatura no fim das compras. O usuário pode recarregar o valor que quiser e quantas vezes forem necessárias. As recargas podem ser feitas pela internet, por transferência ou débito online. Não é preciso guardar todos os recibos de pagamento para saber exatamente o quanto e onde gastou. O pré-pago traz o controle de todas as transações efetuadas, saques, compras, transferências. Outra vantagem é a segurança e comodidade para as crianças, que não precisam andar nas ruas com grande quantidade de moeda em espécie.

Cartões para quem não tem conta em banco

Pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular revela que mais de um terço da população brasileira não possui conta em banco e, apesar disso, movimentam R$ 665 bilhões ao ano. Com esse cenário o cartão pré-pago surge como uma alternativa para quem não tem conta em banco, muito menos um cartão de crédito. O pré-pago permite que qualquer pessoa tenha um meio eletrônico de pagamento, independente de possuir ou não conta corrente, comprovação de renda, restrições de crédito e outros requisitos.

Compras na Internet

Além de ser aceito em todos os estabelecimentos que aceitam cartões em todo país, o cartão pré-pago é aceito também em lojas nacionais e internacionais na internet. Diferentemente dos cartões de débito, que muitas vezes não são aceitos como forma de pagamento, os plásticos pré-pagos são aceitos e incluem milhares de brasileiros em melhores descontos e promoções, que eram exclusivas de pessoas com contas em banco e crédito.