X
Cotidiano

Samu realiza parto de jovem que não sabia que estava grávida em Praia Grande

A mãe, de 18 anos, disse desconhecer a gravidez e teve o bebê em casa; ambos passam bem

A criança nasceu com saúde e, após o parto, posaram para foto / Reprodução/Praia Grande Mil Grau

A equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) vivenciou uma experiência diferente na madrugada desta terça-feira (9), em Praia Grande. A equipe da USB 25 (Unidade de Suporte Básico) do Samu recebeu um chamado para atender uma jovem que estaria em trabalho de parto no Bairro Samambaia, loteamento Parque das Américas.

Chegando ao local, a surpresa: a técnica de enfermagem Ketlen Araújo de Lima Santos e o condutor Ezequias de Oliveira encontraram a mãe deitada na cama já com o menino recém-nascido ao lado, ainda unidos pelo cordão umbilical. “A mãe de 18 anos relatou não saber que estava grávida, havia sentido dores abdominais, pretendia ir ao hospital, mas não deu tempo. Então, eu me paramentei, avaliei o bebê, cortei o cordão umbilical e o aqueci”, conta.

Quando a equipe se preparava para levar a mãe e a criança ao hospital, a USA 80 (Unidade de Saúde Avançada), composta pelo médico Hicham Ali Hammoud, pela enfermeira Celina Assis dos Santos e pelo condutor Alessandro Ferraresi Geraldini chegou para dar continuidade ao atendimento e encaminhar mãe e filho ao Complexo Hospitalar Irmã Dulce, onde passam bem.

Hicham conta que sua equipe atendia a outro chamado e, por isso, a USB 25 foi enviada antes ao local. “Graças a Deus deu tudo certo, a USB que foi na frente conseguiu dar os primeiros cuidados no parto, acalmou e orientou a família, até chegarmos para darmos os demais cuidados e levar a mãe e a criança para o Hospital Irmã Dulce”, comenta.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Quarto parto pelo Samu – A técnica de enfermagem Ketlen já está virando especialista em atender chamados de parto. Este foi o seu quarto atendimento do gênero no Samu de Praia Grande. “No primeiro eu fiquei muito nervosa por nunca ter tido tal experiência, mas não deixei transparecer para a família, inclusive a avó disse na ocasião como a criança tinha gostado do meu colo”, relata.

A primeira experiência serviu para treinar a profissional e deixá-la mais tranquila para ocorrências futuras. “Nas outras vezes eu fiz o parto com maior naturalidade, até porque os outros chamados foram passados somente como gestante com dores para serem encaminhadas ao hospital. Só que quando chegamos na residência percebemos que já estava na hora do parto. E nesses casos precisamos lidar com o nervosismo da família para que ocorra tudo bem no parto”, complementa.

Ketlen destaca a alegria de vivenciar a experiência desse momento único, em meio a uma rotina por vezes tão dura. “É indescritível a sensação, uma mistura de emoção e felicidade poder participar deste momento lindo e mágico da família, ainda mais que na nossa profissão estamos habituados a ver mais a dor e a perda de pacientes e a tristeza de familiares”, finaliza.

Um caso semelhante aconteceu no mês de agosto, em Praia Grade, quando o Samu realizou um parto de emergência em frente a casa de uma paciente.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Após tensão, Trump tenta lucro político e financeiro com operação do FBI

Donald Trump nunca saiu do cenário político dos EUA desde que deixou a Presidência

Esportes

Veja os valores de Soteldo no Santos; Corinthians tenta Michael e mais dois

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software