Autores de atentado em Túnis foram treinados na Líbia

O atentado ao Museu do Bardo é o mais grave contra estrangeiros na Tunísia desde o ataque suicida numa sinagoga em Djerba (Sul), em 2002

Comentar
Compartilhar
20 MAR 201511h59

Os dois autores do atentado ao Museu Nacional do Bardo em Túnis, na Tunísia, que causou a morte a 21 pessoas, incluindo 20 turistas, tiveram treino militar na Líbia, disse o secretário de Estado tunisiano para a Segurança.

"Os dois autores são extremistas salafistas takfiris [correntes do islamismo]. Eles deixaram clandestinamente o país em dezembro e foram receber treino militar na Líbia”, disse nessa quinta-feira (19) à noite Rafik Chelly ao canal de televisão tunisiano AlHiwar Ettounsi.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque contra o museu, em mensagem de áudio divulgada ontem.

O atentado ao Museu do Bardo é o mais grave contra estrangeiros na Tunísia desde o ataque suicida numa sinagoga em Djerba (Sul), em 2002. Nesse atentado, reivindicado pela Al Qaeda, morreram 14 alemães e dois franceses, além de cinco tunisianos.