Ato em defesa da Petrobras tem brigas entre apoiadores do governo e antipetistas

Organizado pela Central Única dos Trabalhadores e pela Federação Única dos Petroleiros, o ato reúne cerca de 500 pessoas

Comentar
Compartilhar
24 FEV 201519h42

Várias brigas já ocorreram durante um ato em defesa da Petrobras promovido desde as 18 horas desta terça-feira, 24, em frente ao prédio-sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro do Rio. Organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), o ato reúne cerca de 500 pessoas e deve ter a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Embora organizada por apoiadores do PT e do governo da presidente Dilma Rousseff (PT), a manifestação também atraiu dezenas de militantes contrários ao partido. Por isso, desde as 17h30 já havia um clima de confronto entre os dois grupos. A reportagem já presenciou muitas brigas pontuais entre ativistas, e até ovos foram lançados entre as partes. Em outro momento, enquanto um grupo de manifestantes gritava "Olê, olê, olá, Lula, Lula", outros ativistas faziam coro: "Lula ladrão, Lula ladrão".

A jornaleira Nice Ribeiro, de 54 anos, afirmou ser contra o PT e a presidente Dilma Rousseff. "Ela é um fantoche", acusou.

A Polícia Militar mobilizou 70 policiais para acompanhar o ato e conter eventuais tumultos.

Militantes do PT e da CUT entram em confronto com opositores (Foto: ERBS Jr./Frame)