Será que pode piorar? Astrólogos afirmam que 2020 ainda terá muitos conflitos

Profissionais do Astrolink afirmam que nada será como antes depois do ano que marcou a humanidade

Comentar
Compartilhar
25 SET 2020Por Da Reportagem23h10
Pandemia foi apenas o começo neste ano complicadoFoto: Fábio Vieira/FotoRua/Folhapress

O ano de 2020 certamente vai ficar marcado como um dos mais difíceis da História. Seja pela crise na saúde e economia mundiais ou pelos conflitos políticos, o fato é que muita gente tem se perguntado se ainda tem mais coisa para acontecer. E a resposta, segundo a astrologia, é: sim. E a retrogradação de Marte é um fatores que indicam mais desafios antes de chegarmos a 2021 e as coisas melhorarem.

Os astrólogos colaboradores do Astrolink, explicam que neste ano atípico, em que já passamos por muitos meses de tensão, devemos continuar vigilantes e diligentes. “Mais do que nunca, agora é o momento de amar e acolher a nós mesmos e aos nossos semelhantes”, dizem.

RETRÓGRADO.
Marte entrou em retrogradação no último dia 9 de setembro e permanecerá assim até 13 de novembro. O ciclo, no entanto, ocorre em média, a cada dois anos, portanto não é raro. Para o Astrolink, nesses dois meses, é possível notar alguma dificuldade de agir e é preciso pensar antes de tomar iniciativas. A equipe de colaboradores também ressalta que coisas do passado que precisavam de atenção e não foram concluídas podem voltar e exigir uma resolução.

O atual panorama astrológico, por proporcionar configurações raras que regem grandes transformações e quebras de paradigma em ampla escala, continua demonstrando na prática, que, a partir de 2020, nada será como antes. Desde dezembro de 2019, Júpiter se uniu a Saturno e, posteriormente, a Plutão em uma tripla conjunção em Capricórnio extremamente rara, que ocorreu apenas cinco vezes nos últimos dois mil anos, trazendo mudanças importantes nos paradigmas das épocas em que acontecem.

Todo este panorama faz com que revisemos a maneira como nos relacionamos com o poder de maneira geral. Se as coisas não forem feitas de forma equilibrada a partir de agora, alterações serão impostas de qualquer maneira nos próximos anos, quando Saturno, Júpiter e Plutão entrarem em Aquário.

Os colaboradores do Astrolink explicam que não devemos lidar com os impactos da retrogradação de Marte nos signos individualmente, mas sim do Mapa Astral completo. “Todos nós temos todos os signos em nosso Mapa Astral posicionados em locais distintos e, ao analisar o trânsito de Marte em relação ao nosso mapa, podemos ver qual área da vida pode ser mais afetada pela sua passagem e pelos aspectos que o planeta irá formar com outros planetas natais”.

Para entender melhor o impacto de Marte retrógrado para cada pessoa, é preciso olhar no Mapa e procurar em que setor está Áries e o grau por onde está passando no momento. “Lá, a pessoa consegue descobrir qual é a casa (área da vida) em que o planeta estará gerando maior correspondência”, dizem os astrólogos.

Ele comenta, também, que se no Mapa Astral há algum Astro no terceiro decanato de Áries ou em aspecto com este trânsito de Marte, poderão surgir questões energéticas inconscientes a serem trabalhadas. O ideal é ver no próprio mapa o setor por onde Marte está passando (e onde está Áries está) para tentar encontrar insights e pistas úteis.

Os astrólogos do Astrolink defendem que muitas das soluções e estratégias que usávamos nas diversas esferas das nossas vidas podem não servir mais ou sofrerem alterações drásticas. A sugestão é que nos preparemos para essa nova marcha das coisas revisando nossas atitudes, valores e fazendo os ajustes que julgarmos necessários para que possamos evoluir como seres conscientes manifestados no plano terrestre e encontrarmos nosso lugar no Universo.

Astrologicamente, quando Marte está retrógrado, o ideal é não agirmos por impulso ou almejarmos sermos extremamente assertivos e conquistadores, pois isso gerará frustração. Situações diversas podem nos pedir uma revisão e, com isso, podem não se desenrolar com a velocidade esperada. “Como estamos acostumados a uma certa cadência, isso pode levar a choques de realidade, sendo um daqueles momentos propícios ao aprendizado a respeito do nosso ritmo pessoal, desacelerando um pouco nossa rotina para compreender se estamos ou não agindo em alinhamento com nossos propósitos”.

Embora ainda haja algum tempo para terminar essa fase, o Astrolink diz que uma grande mutação do elemento Terra para o elemento Ar ocorrerá a partir de dezembro de 2021. “Esse movimento vai clarear mais nossos caminhos, sugerindo uma revisão profunda nos valores da nossa sociedade”.