Lula não deve se entregar, defendem aliados

Alguns, como a deputada Maria do Rosário (RS), se manifestaram publicamente. No Twitter, ela afirmou que 'prender Lula é uma obsessão para alguns'

Comentar
Compartilhar
05 ABR 2018Por Folhapress20h00
Maria do Rosário defendeu que o ex-presidente não se entregue em CuritibaFoto: Agência Brasil

Parlamentares petistas convocaram militantes para uma mobilização em São Bernardo do Campo na noite desta quinta-feira (5) contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Há aliados do petista que defendem que ele não se entregue. Alguns, como a deputada Maria do Rosário (RS), se manifestaram publicamente. No Twitter, ela afirmou que "prender Lula é uma obsessão para alguns".

Ela defendeu que o ex-presidente não se entregue em Curitiba, como determinou o juiz Sergio Moro.

"Lula e advogados decidirão e têm meu apoio, mas não creio, por ser inocente, que Lula deva se entregar em Curitiba", diz a publicação.

Líder do PT na Câmara, o deputado Paulo Pimenta (RS) disse em uma rede social que a decisão foi política e culpou a imprensa por pressionar a Justiça.

"Foi uma decisão política, uma vez que alguns ministros optaram por rasgar a Constituição e aceitar a pressão da Globo para tentar inviabilizar Lula. O nome disso não é Justiça, é política", afirmou Pimenta.

Lideranças de esquerda convocaram militantes nas redes sociais para uma mobilização no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo.

"Diante da decisão do juiz parcial e arbitrário Sergio Moro, resistiremos", disse o deputado Paulo Teixeira (PT-SP) em sua conta no Facebook.