Santos

Santos agenda reuniões para definir casos de Rodrygo e Jair

A primeira ocorre nesta quinta-feira (14). Peres vai se encontrar com o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Teixeira, para mostrar os detalhes da negociação de Rodrygo

Comentar
Compartilhar
14 JUN 2018Por Folhapress09h40
Santos agenda reuniões para definir casos de Rodrygo e JairFoto: Ivan Storti/Santos FC

Após vencer o Fluminense nesta quarta-feira (13) e garantir a permanência fora da zona de rebaixamento do Brasileiro durante o período de Copa do Mundo, o Santos tem outras decisões para resolver até a próxima segunda-feira (18).

Segundo apurou a reportagem, o presidente José Carlos Peres agendou duas reuniões que decidirão os casos do atacante Rodrygo e do técnico Jair Ventura.

A primeira ocorre nesta quinta-feira (14). Peres vai se encontrar com o presidente do Conselho Deliberativo, Marcelo Teixeira, para mostrar os detalhes da negociação de Rodrygo com o Real Madrid, da Espanha. O dirigente prometeu que consultaria o Conselho antes de fechar a transação.

Peres só apresentará os números com a intenção de provar que o Santos receberá mais que o seu percentual do valor da multa rescisória: 40 milhões de euros (R$ 175,6 milhões), referentes aos 80% dos direitos econômicos que o clube possui do jogador. A multa rescisória está avaliada em 50 milhões de euros (R$ 219,5 milhões).

O Real aceitou que os 40 milhões de euros (R$ 175,6) sejam pagos ao Santos sem comissão e impostos. O clube merengue desembolsará, portanto, mais do que o time paulista tinha direito na negociação. Para isso, Rodrygo teve que abrir mão dos 20% que possui de seus direitos -10 milhões de euros (R$ 43,9 milhões).

Segundo dirigentes santistas, o valor da transação deve chegar até 49 milhões de euros (R$ 215 milhões).

Eles alegam que só resta a reunião entre Peres e Teixeira para que o negócio seja fechado.

Uma vez que o caso de Rodrygo é prioridade, o Santos prorroga para o início da próxima semana uma definição sobre a permanência do técnico Jair Ventura.

Muitos conselheiros citam o aproveitamento do treinador para justificar sua demissão. Aliás, o pedido já está registrado em ata por estes.

Somando o jogo contra o Fluminense, são 35 jogos nesta temporada: 14 vitórias, 7 empates e 14 derrotas, aproveitamento de 46,6%.

Contudo, outra parte acredita que Jair precisa ser avaliado depois da chegada de reforços e que não há substitutos no mercado. Zé Ricardo, que deixou o Vasco recentemente, é o único nome. Abel Braga, outro nome sugerido nas reuniões, é considerado sonho impossível.

Colunas

Contraponto