21h : 07min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Empresário de Santos escapa de acidente e ajuda nas buscas na Colômbia

DL conversou com Luiz Taveira, que embarcou em voo paralelo e chegou em Medelín apenas 15 minutos depois do desastre. Ele ajudou no reconhecimento de Alan Ruschel e de um jornalista

Comentar
Compartilhar
29 NOV 2016Por Alyson Gonçalo11h49
Avião caiu com 81 pessoas a bordoFoto: Cr Wilson Pardo/Policiantioquia

Um empresário de Santos, que trabalha para o clube que leva o nome do município, ajudou no reconhecimento dos jogadores e outros passageiros que foram encontrados com vida após acidente com avião que levava a equipe da Chapecoense para a finalíssima da Copa Sul-Americana, em Medelín, na Colômbia, na madrugada desta terça-feira (29).

Luiz Taveira saiu do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, no mesmo horário da delegação da equipe de Chapecó. Chegou, inclusive, a conversar com alguns atletas antes do embarque. Ele, porém, pegou outro voo e soube do desastre aéreo logo que pousou em solo colombiano. O acidente ocorreu apenas 15 minutos antes da sua aterrizagem na cidade.

Ao saber do acidente, Taveira dirigiu-se a um dos hospitais da região e ajudou a polícia local no reconhecimento dos sobreviventes. Lá, ele chegou a conversar com o lateral Alan Ruschel, que chegara à unidade De La Sierra com diversas fraturas pelo corpo. O empresário ainda ajudou no reconhecimento do jornalista Rafael Henzel e informou a sua família sobre suas condições.

“Vim em outro voo e cheguei 15 minutos após o acidente. Dirigi-me ao hospital e lá vi a chegada do Alan Ruschel, além do repórter Rafael Heinzel e mais uma comissária de bordo. Eu reconheci o Alan e peguei os documentos do repórter para ligar para a família e dizer que a condição dele era melhor em relação aos demais sobreviventes”, disse ao Diário do Litoral.

“Fui ao hospital para ver o que poderia ajudar. Ao lado do Dudu, que fez a logística terrestre da Chape, conseguimos auxiliar a polícia local. Agora estou indo em outros hospitais para tentar ajudar de alguma forma. Ainda pretendo ir ao local do acidente para ver no que posso ajudar. Estou em choque, mas qualquer ser humano faria isso no meu lugar”, completou Taveira.

O empresário santista, que presta serviço ao Santos Futebol Clube, está na Colômbia por causa das negociações pelo meia Alejandro Guerra e Orlando Berrído, do Atlético Nacional, que seria o adversário da Chapecoense na final da Sul-Americana. Além disso, ele tentaria auxiliar na contratação do zagueiro Thiego, da Chape, que estava no acidente e não resistiu à queda.

“Conversei rapidamente com o Thiego. Disse a ele que acompanharia a partida do clube amanhã (quarta-feira) e que o encontraria mais tarde em Medelín”, finalizou.

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar