01h : 59min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Avião que levava equipe da Chapecoense cai na Colômbia e mata 76

A informação é do General José Acevedo Ossa, da polícia local, responsável pelo resgate. Não há confirmação sobre quem são as vítimas

Comentar
Compartilhar
29 NOV 2016Por Estadão Conteúdo06h44
Avião caiu na madrugada desta terça-feiraFoto: Reprodução

A polícia de Medellín confirmou a morte de 76 pessoas no acidente aéreo com a delegação da Chapecoense na madrugada desta terça-feira, na cidade de La Unión, próximo a Medellín, na Colômbia. A informação é do General José Acevedo Ossa, da polícia local, responsável pelo resgate. Não há confirmação sobre quem são as vítimas.

Na madrugada desta terça-feira, o avião da companhia aérea Lamia, da Venezuela, que levava a delegação da Chapecoense para a Colômbia, caiu antes de checar ao seu destino. Há confirmação de três jogadores já resgatados com vida: o lateral Alan Ruschel e os goleiros Danilo e Jackson Follmann.

Equipes de socorro tentam fazer o resgate em trabalhos ininterruptos. A aeronave tinha 81 pessoas a bordo, sendo 72 passageiros e 9 tripulantes, de acordo com a agência da Aeronáutica Civil colombiana.

Havia jornalistas da Fox Sport, entre eles o ex-jogador Mário Sérgio Pontes de Paiva, comentarista esportivo da emissora. O time brasileiro, rival do Palmeiras no fim de semana na partida que deu ao time paulista a conquista do título nacional, faria o primeiro confronto da decisão da Copa Sul-Americana com o Atlético Nacional, quarta-feira. A Sul-Americana já cancelou a partida e se colocou à disposição dos envolvidos. Uma das possibilidades é o avião ter sofrido pane elétrica. Os sobreviventes estão sendo levados para dois hospitais da região próxima ao aeroporto Jose Maria Córdoba, em Rionegro, nas imediações de Medellín, um deles é o San Juan de Dios.

O avião seguia para Medellín, mas chovia na região. Há a possibilidade de a aeronova ter sofrido pane seca também. Imagens do SBT e da Fox mostraram os destroços da aeronova, com distintivos do clube brasileiro exposto. Equipes de socorros confirmaram para as agências de notícias que há sobreviventes e eles estão sendo resgatados por cerca de 500 profissionais colombianos. O acesso ao local da queda é difícil. O avião não explodiu, de acordo com informações dos paramédicos.

De acordo com a imprensa local ainda, o avião perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (1h15 de Brasília). O SOS foi emitido entre as cidades de Ceja e Lá Unión. O avião, de matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. As primeiras vítimas resgatadas já foram levadas para o hospital. Alan e Danilo, ambos da Chapecoense, teriam sido os primeiros a serem resgatados. Na emergência do voo, o piloto teria aberto os tanques de combustível para evitar a explosão da aeronave na queda. A região do acidente é montanhosa. O avião teria caído há apenas 25 quilômetros da cabeceira da pista do aeroporto de destino.

A Chapecoense emitiu uma nota. "Em função do desencontro das notícias que chegam das mais diversas fontes jornalísticas, dando conta de um acidente que transportava a delegação da Chapecoense, a associação esportiva, através de seu presidente Ivan Tozzo, reserva-se o direito de aguardar o pronunciamento oficial da autoridade aérea colombiana, a fim de emitir qualquer nota sobre o acidente. Que Deus esteja com nossos atletas, dirigentes, jornalistas e demais convidados que estão juntos com a delegação".   

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) cancelou todas as atividades esportivas sobre a Sul-Americana. O site oficial do rival da Chapecoense, Atlético Nacional, também se manifestou sobre o acidente, lamentando o ocorrido e desejando sorte ao time brasileiro e aos sobrevivente.

 

Colunas

Contraponto

Construtora CredLar