07h : 29min

Assine o Diário e o Santista por R$8 por mês no plano atual

Festival de música autoral destaca a diversidade musical

A mostra promoverá uma itinerância com 24 artistas dos mais variados estilos em três pontos da cidade

Comentar
Compartilhar
12 OUT 2017Por Rafaella Martinez11h30
A palavra chave do projeto é colaboratividade, este foi o norte da concepção do Festival MAISFoto: Divulgação

Até o dia 15, Santos poderá apreciar diversas opções da música autoral da Baixada Santista dentro do Festival MAIS, em homenagem à data de nascimento do compositor santista Gilberto Mendes. A mostra promoverá uma itinerância com 24 artistas dos mais variados estilos em três pontos da cidade.

O nome já soa um tanto familiar para quem costuma frequentar a Rua do Lazer aos domingos. A kombi azul parada na praça das Bandeiras com música na rua é o símbolo do Komboio Cultural, realizador da Ocupação MAIS que acontece gratuitamente em doses semanais, com apresentação de duas bandas da região. O que impulsiona essa atividade é justamente dar espaço e visibilidade para artistas e bandas da região que sentem a falta de espaços culturais para mostrar seus trabalhos autorais.

"A kombi tem como premissa levar arte e cultura para todos, seja em pontos turísticos com a intenção de destacar os artista locais, ou ir até onde não há ação cultural" conta Ugo Chaves, organizador do festival. No dia 13 haverá show na Praça Nossa Senhora Aparecida, mais conhecida como Praça do BNH. No sábado dia 14, é a vez do parque do Emissário e pra fechar com chave de ouro no domingo, dia 15, os shows acontecerão na praça do Aquário.

Para a escolha das bandas alguns critérios foram levados em consideração, tais como a diversidade musical para garantir a representatividade musical da região e algumas bandas parceiras que já participaram da Ocupação MAIS.

A palavra chave do projeto é colaboratividade, este foi o norte da concepção do Festival MAIS. Na sexta o foco é a cultura popular, MPB e forró, com destaque para a participação da banda Dona Zaíra. No sábado a Cultura de Rua toma seu espaço através dos grupos de hip hop, batalhas de MC’s e a participação do nigeriano Osas Destiny. O domingo enfatiza os estilos mais ligados ao rock, blues e jazz. O encerramento do festival é por conta de um dos maiores trombonistas do Brasil: Bocato.

A escolha de homenagear o maestro Gilberto Mendes está alinhada com toda dificuldade do fazer artístico que vive uma momento crítico no Brasil. Gilberto foi um artista que utilizou a arte como ferramenta política, sendo considerado o pai da música concreta e escreveu canções em defesa dos trabalhadores. O músico foi uma figura fundamental na história social da música brasileira e é um dos maiores compositores da nossa região, tendo suas obras sendo executadas em todo o mundo.

A Ocupação MAIS é uma ação de valorização da cultura local e de resistência. Atualmente com a crise vivenciada no país, os investimentos no setor de cultura tem sido cada vez menores. O idealizador Ugo Castro convida a todos para conhecer esses artistas locais “é um festival para você ir e conhecer o que é feito na região, são grupos e artistas que acreditam no ato de criar um movimento autoral reconhecido e valorizado na baixada”.

Programação

13/10
PRAÇA DO BNH
16h – Abertura do Festival: Orquestra de Cordas Sinfônica
16h30 –    Trio Ekoa - mpb
17h30 – Mariaz – forró
18h30 – Maracatu Zabelê
19h – Dog Joe – blues
20h – Monique da Rocha – mpb
21h – Zaíra – forró - Dj Caiaffo

14/10
EMISSÁRIO
16h30 –    Bateria Calunga - Projeto Camará
17h – Eskina do Samba – samba
18h – Imagreen – rap
18h30 –    Osas Destiny - Ragamuffin (Nigéria)
19h – Coletivo Baobá de Malê - Cultura Popular
20h – Noiz por Noiz – rap
20h30 –    Batalha de Rima – rap
21h – Art Radical – rap caiçara - Dj Buzina

15/10
PRAÇA DO AQUÁRIO

15h – Los Volks – folk
16h – Zebra Zebra – rock
17h – Erodelia – hard rock
18h – Br Combo - Instrumental brasileiro
19h – Mauro Hector – blues e jazz
20h – Bocato – jazz e fusion - Dj Lufer

Mais informações

MAIS é um movimento que abre cena para música autoral da Baixada Santista. Acontece desde 2013 e já conta com 5 edições. Esta é a maior edição do projeto e com a maior participação de compositores da região da Baixada Santista.

O Festival se propõe a atingir públicos variados e aposta na programação de artistas que representem a diversidade da música santista, contemplando o samba, o rap, a MPB, a música regional, o pop, o rock e a música instrumental. A seleção dos artistas participantes foi realizada por curadoria especializada, baseada no mapeamento que o MAIS já realiza desde 2013.

Todo o repertório será de composições dos músicos participantes e convidados, detentores dos direitos autorais das obras executadas.

Colunas

Contraponto