Débitos prefeituras

Buracos dominam ruas e calçadas da Encruzilhada

A reportagem foi até o local e constatou que tanto a via quanto o passeio público, de fato, estão tomados por buracos

Comentar
Compartilhar
10 OUT 2017Por Rafaella Martinez10h30
Reclamação foi feita pelo munícipe Antônio José Valentim Britto no espaço ‘Post Impresso’ do Diário do Litoral. Tanto a via quanto o passeio público estão tomados por buracosFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Crateras da lua. Foi dessa forma que o munícipe Antônio José Valentim Britto definiu, por meio do espaço ‘Post Impresso’ do Diário, a situação críticas dos pisos da Rua Manoel Dias Marcelino, na Encruzilhada, em Santos. A reportagem foi até o local e constatou que tanto a via quanto o passeio público, de fato, estão tomados por buracos.

Embora alguns pontos da rua tenham sido contemplados pela operação tapa buracos (ação que nivela o piso para facilitar a circulação de pedestres), diversas ‘crateras’ são visíveis. O maior problema, no entanto, está na calçada: desníveis, buracos e raízes de árvores atrapalham o caminho de quem transita pelo espaço.

Morador do bairro há cinco anos, Rodrigo Santos conta que acidentes são comuns na região.

“Semanalmente algum idoso cai na calçada. Semana passado um motoqueiro perdeu o equilíbrio da moto na esquina da Rua Júlio Conceição e também se machucou bastante. A Prefeitura vem, tapa alguns buracos e vai embora sem resolver todo o problema”, conta.

Outra reclamação é a falta de poda das árvores, o que preocupa os munícipes em dias de ventania. “A gente já ligou e reclamou, mas nada acontece. Os galhos crescem no meio dos fios e a raiz da árvore começou a quebrar o concreto da calçada. Temos medo que algo mais grave aconteça”, finaliza.

Procurada, a Prefeitura de Santos destacou que a fiscalização da Secretaria de Infraestrutura e Edificações (Siedi) irá até o endereço citado para verificar a situação dos passeios e tomar as devidas ­providências.

A Administração destacou ainda que o proprietário do imóvel com calçada quebrada será intimado a executar o reparo no prazo de 30 dias, sob pena de multa de R$ 3.002,72. Os prazos são contados a partir da publicação da intimação no Diário Oficial, como determina a legislação do município. A via foi mapeada no cronograma de pavimentação e a Prefeitura trabalha na captação de recursos para poder ­executar a obra.

Quanto ao crescimento das árvores, a Secretaria de Serviços Públicos informou que enviará técnicos ao local para averiguar e executar o serviço.

Colunas

Contraponto