00h : 43min

Conheça o
Caderno + DL

Ler

Assine o Jornal por R$8
por mês no plano atual

AssineLer Jornal

Demanda por transporte aéreo doméstico registrou aumento de 3,6% em julho

Em julho de 2017, foram transportados 8,3 milhões de passageiros pagos em voos domésticos

Comentar
Compartilhar
13 SET 2017Por Agência Brasil16h30
Em julho de 2017, foram transportados 8,3 milhões de passageiros pagos em voos domésticosFoto: Agência Brasil

A demanda doméstica de transporte aéreo (em passageiros-quilômetros pagos transportado) registrou aumento de 3,6% em julho deste ano, quando comparada com o mesmo mês de 2016. Esta foi a quinta alta consecutiva do indicador, informou hoje (13) a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). No acumulado dos sete primeiros meses, a demanda teve crescimento de 1,1%, em comparação com o mesmo período do ano passado. A oferta registrou alta de 4,4% no mês, após queda em junho. A oferta (em assentos-quilômetros ofertados) acumulou crescimento de 0,2% nos primeiros sete meses o do ano.

Em julho de 2017, foram transportados 8,3 milhões de passageiros pagos em voos domésticos, o que representou aumento de 3% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

De acordo com a Anac, no mês de julho, Gol e Latam permaneceram na liderança no mercado doméstico, com participações da ordem de 37,4% e 32,1%, respectivamente, enquanto a soma das demais empresas avançou 9,1% na comparação com julho de 2016 alcançando 30,5% da demanda. No mês, a Latam registrou uma baixa de 6%, na comparação com igual período do ano anterior, enquanto a Avianca alcançou a maior variação positiva em RPK entre as quatro principais empresas aéreas, com 20,2%. As empresas Gol e Azul apresentaram crescimento de 5,7% e 9,5%, respectivamente.

Em julho deste ano, a taxa de aproveitamento dos assentos das aeronaves no mercado doméstico foi 83,9%, que representou baixa de 0,7% em relação ao mesmo período do ano passado. O transporte de carga paga e correio no mercado doméstico, no mês de julho, foi da ordem de 36 mil toneladas, o que representou alta de 0,3% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Mercado internacional

Segundo a Anac, em julho de 2017, a demanda internacional das empresas brasileiras apresentou aumento de 19%, sendo este o 10º mês consecutivo de alta. A oferta cresceu 18,2% nesse período, o que representou o 9º aumento consecutivo. Durante o mês de julho, foram transportados 813 mil passageiros pagos em voos internacionais. Os três indicadores alcançaram o seu maior nível para um único mês na série histórica iniciada em 2000. No acumulado de janeiro a julho de 2017, a demanda internacional das empresas brasileiras cresceu 12,8% e a oferta aumentou 8,9%, em comparação com igual período de 2016.

Entre as empresas aéreas brasileiras que operam no mercado internacional, a LATAM continuou com maior participação de mercado, de 73,5% no mês de julho, o que representou recuo de 5,5% na comparação com igual do ano anterior, apesar da alta de 12,4%. A Azul apresentou um aumento de 58,5% em demanda internacional, passando a uma participação de mercado de 12,6%, seguida da Gol com 11,8%. A Avianca passou a figurar como a quarta empresa aérea brasileira neste mercado. A empresa passou de uma participação quase nula, em julho do ano anterior, para 2,1% da demanda internacional de passageiros, em julho deste ano.

A taxa de aproveitamento dos assentos das aeronaves das empresas brasileiras no mercado internacional foi 86,2% no mês, o que representou um aumento de 0,7% na comparação com julho de 2016. O indicador está em alta há 14 meses e alcançou o seu maior nível para o mês de julho na série histórica iniciada em 2000. Nos sete primeiros meses do ano, o índice acumulou alta de 3,6% na comparação com igual período de 2016, atingindo o valor 85,3%.

No mês de julho, foram transportadas 19.797 toneladas de carga e correio, número que representou aumento de 49,3% em relação ao mesmo mês do ano anterior, este foi o maior nível já alcançado para o mês na série histórica iniciada em 2000. O indicador acumulou aumento de 21,4% nos sete primeiros meses do ano.

Colunas

Contraponto