Saúde

Desidratação no verão afeta mais idosos e crianças mas pode ser evitada

Entre janeiro e março de 2019, ocorreram mais de mil e duzentas internações causadas pela desidratação no estado, sendo que 40% se referiam a pacientes com mais de 60 anos e 25% eram crianças menores de 5 anos

Da Reportagem

Publicado em 30/01/2023 às 15:00

Comentar:

Compartilhe:

Dentre os sintomas de desidratação estão dores de cabeça, sede excessiva, cansaço, boca seca e, em casos mais graves, pode ocasionar tontura / Divulgação

A desidratação é desencadeada pela falta de água no organismo e é mais comum em crianças e idosos, especialmente durante o verão. Nesse momento, é preciso se atentar ao consumo de água e aos sintomas que podem ser ocasionados por essa condição, como dores de cabeça e cansaço.

Com o auge do verão, os casos de desidratação podem aumentar porque as altas temperaturas demandam um consumo maior de água, assim como um maior cuidado com a alimentação.

Segundo dados do DataSUS, analisados pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, entre janeiro e março de 2019, ocorreram mais de mil e duzentas internações causadas pela desidratação no estado, sendo que 40% se referiam a pacientes com mais de 60 anos e 25% eram crianças menores de 5 anos.

Dentre os sintomas de desidratação estão dores de cabeça, sede excessiva, cansaço, boca seca e, em casos mais graves, pode ocasionar tontura. Geralmente a desidratação é mais frequente em crianças e idosos, devido à apresentarem uma perda de líquido mais elevada do que o usual.

Em crianças pequenas e bebês também pode se manifestar por meio de sonolência excessiva, irritabilidade maior, choro sem lágrimas, moleira mais mole do que o habitual, assim como, pouca urina e com o cheiro mais forte.

Além disso, algumas causas para a condição são vômito e diarreia – ou seja, alguns quadros de viroses, comuns no verão, podem ocasionar desidratação –, uso de diuréticos, insuficiência renal, sudorese intensa e queimaduras. No entanto, a prevenção da desidratação vai além do consumo correto de água para cada faixa etária.

Qual a melhor maneira de prevenir?

Inicialmente, o tratamento pode ser feito por meio da reposição de água e sais minerais que estão em falta no organismo. Porém, a alimentação tem um papel fundamental durante o cuidado e prevenção da desidratação, afinal, a ingestão de água também pode ser feita por meio de alimentos ricos em água como melancia, laranja, chuchu ou melão, o que pode ser importante durante o tratamento. 

Também é preciso evitar a ingestão excessiva de bebidas que podem causar desidratação, entre elas: os refrigerantes, bebidas alcoólicas e o café. Outra forma de prevenir a doença é evitando a exposição ao sol nas horas de maior calor do dia, especialmente no verão, e beber água durante a prática de exercícios físicos.

Contudo, é essencial o consumo diário de água para a prevenção, que pode variar considerando fatores como idade, peso, gênero e frequência de atividade física. A recomendação ideal para realizar esse cálculo é de cerca de 40ml para cada kilo para pessoas de até 17 anos, 35ml por kilo para adultos entre 18 e 55 anos e 30ml por kilo para pessoas acima de 55 anos. Importante ressaltar que os alimentos também têm água na composição e essa água faz parte da quantidade que deve ser ingerida diariamente.

Para algumas pessoas, ingerir água em grande quantidade pode ser um desafio, porém, é possível fracionar em pequenas porções a ingestão de água no decorrer do dia para que o hábito de beber água se torne mais natural. 

Além disso, algumas sugestões interessantes são beber água após urinar, ter sempre que puder uma garrafa de água à mão e alternar a ingestão de líquidos no momento em que estiver consumindo bebidas alcoólicas.

Leia esta matéria também no site da Gazeta de S.Paulo.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

São Vicente

Rua de São Vicente será interditada neste domingo, devido a obras da Sabesp; saiba qual

Agentes de trânsito estarão no local orientando os motoristas

Cotidiano

Confira o resultado da Lotomania no concurso 2637, nesta sexta (21)

O prêmio é de R$ 9.800.000,00

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter