Sindicalistas se mobilizam para manifestações dia 29

As reuniões em Santos serão a partir de hoje. A plenária final de organização ocorre no dia 26. Paralisações serão em todo País contra terceirização e as MPs 664 e 665

Comentar
Compartilhar
19 MAI 201511h29

As centrais sindicais da Baixada Santista se reunirão hoje,  em plenária  no Settaport, a partir das 18 horas, para definir a convocação para o “Dia Nacional de Paralisação e Manifestações Contra a Terceirização, PL4330. E no  dia 26  a Plenária Final de Organização, com coletiva para a imprensa a partir das 16h30, na Av. Washington Luiz, 140, no Sindicato dos Bancários de Santos e Região. Logo em seguida discutirão as estratégias de paralisações para o dia 29.

“Na região todas as centrais estão reunidas para derrotar as MPs 664 e 665, o ajuste fiscal antipopular e enterrar o PL 4330, a Intersindical Central da Classe Trabalhadora juntamente com outras organizações, como a CUT, CTB, MTST, Força Sindical, CSP-Conlutas, UGT, ASS – Alternativa Sindical Socialista e Corrente Sindical Unidade Classista convocam toda a classe trabalhadora e os setores populares a realizar no dia 29 de maio um grande Dia Nacional de Paralisação e Mobilizações rumo à Greve Geral”, explica Ricardo Saraiva Big, presidente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região e Secretário de Relações Internacionais da Intersindical.

Protestos serão realizados em Santos, no final do mês (Foto: Matheus Tagé/ DL)

Força Sindical

A Força Sindical da Baixada Santista  se reúne amanhã, no Sindicato dos Químicos, para também organizar o evento.

Herbert Passos Filho, diretor da central em Santos, diz que a classe trabalhadora da Baixada Santista vai manifestar sua indignação contra o projeto de lei da terceirização e a votação das MPS-664 e 665, quwe restringem direitos de trabalhadores e das viúvas.

O presidente nacional da Força Sindical, Miguel Torres, diz que a corrosão salarial é um reflexo direto da crise provocada pelo Governo. “Provocada pelos juros altos e pelo desequilíbrio das contas do governo, a redução da atividade econômica no País já começou a causar a corrosão dos rendimentos do trabalho, elevar o desemprego e reduzir a produção e as vendas da indústria de transformação”.

NCST/SP

A Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) de São Paulo vai promover ato de protesto contra o PL-4330, na próxima quinta-feira, no centro de São Paulo. A concentração será no CMTC Clube, na avenida Cruzeiro do Sul, 808, na  Ponte Pequena, próximo ao Metrô Armênia.

O presidente da NCST/SP, Luiz Gonçalves, convoca todas as entidades filiadas a participarem  do evento. “A terceirização libera as empresas a contratarem empregados terceirizados, inclusive na atividade fim. O famigerado PL já foi aprovado na Câmara dos Deputados e agora será encaminhado para apreciação do Senado. Portanto é necessário que a classe trabalhadora impeçam esse retrocesso”, diz o dirigente sindical.