Governo SP

Em Santos, greve paralisa banco Santander

A diretoria do Sindicato dos Bancários de Santos e Região comandou a greve de 24 horas em todas as 15 agências do Santander em Santos.

Comentar
Compartilhar
05 DEZ 201216h13

Clientes do Santander foram surpreendidos nesta quarta-feira (05) pela greve dos bancários deflagrada nas agências de Santos e que foi motivada, segundo informou o sindicato, pela demissão em massa de empregados.

A diretoria do Sindicato dos Bancários de Santos e Região comandou a greve de 24 horas em todas as 15 agências do Santander existentes em Santos. E informou que a paralisação foi contra as demissões em massa que estão ocorrendo em todo o país.

O presidente do sindicato, Ricardo Saraiva, Big, disse que a diretoria do Santander demitiu de uma vez  19 funcionários na Baixada Santista. Em todo o Brasil já foram cerca de 2.000 bancários e segundo informações o número pode chegar a 5.000 dispensados até sexta-feira (07).

“Nós estamos indignados, pois as demissões surpreenderam a todos e ocorre numa época que deveria ser de festa, pois estamos no final do ano e o banco tem lucro atrás de lucro”, explicou o sindicalista ao Diário do Litoral, ontem, por volta das 11 horas, na porta do Santander, da Praça Mauá, no Centro.

“Estamos protestando contra as demissões em massa e exigindo a reintegração de todos os funcionários desligados. O movimento sindical já cobrou uma negociação com o banco, mas até o momento não obteve retorno”, explicou Big.

"As demissões são um absurdo, pois os trabalhadores brasileiros são os principais responsáveis pela maior fatia do resultado global da empresa (26%).
O banco não demite na Espanha onde há crise, nem em outros países da América Latina. Não aceitamos que dispensem os funcionários daqui. Entre os dispensados estão empregados com mais de 20 anos de banco, muitos às vésperas da aposentadoria, e até pessoas com deficiência” mencionou o sindicalista.

Em todo o Brasil já foram cerca de 2.000 bancários (Foto: Matheus Tagé/DL)

Colunas

Contraponto