Dengue: descarte incorreto de lixo pode gerar criadouros

Ação da Coordenadoria de Vetores e Dengue constatou grande quantidade de lixo em terrenos no Jardim Vicente de Carvalho, durante o Dia D de Combate à Dengue e Chikungunya

Comentar
Compartilhar
10 FEV 201515h39

Cerca de 10 agentes da Coordenadoria de Vetores e Dengue, vinculada à Secretaria de Saúde de Bertioga, realizaram visitas casa a casa no bairro Jardim Vicente de Carvalho, no sábado (07), como ação do Dia D de Combate à Dengue e Chikungunya, conforme recomendação do Ministério da Saúde.

O objetivo foi orientar os moradores do bairro sobre a importância da prevenção contra a doença, principalmente evitando possíveis criadouros do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue e da chikungunya. No sábado (07), além de percorrer as casas, os agentes ainda fiscalizaram terrenos vazios e a grande quantidade de lixo chamou a atenção dos técnicos. Em uma das ruas, um terreno acumulava todo tipo de material, como restos de construção, de móveis e até lixo orgânico.

O coordenador de Vetores e Dengue, Antônio Sérgio de Jesus, reforça que esses materiais podem acumular água. “Não adianta eliminar os criadouros dentro de casa e jogar o lixo na esquina. É preciso cuidar de todo o bairro”. Ele ainda lembra que a Prefeitura de Bertioga limpou o terreno há menos de 10 dias e o local se tornou descarte de lixo novamente. Na segunda-feira (09), a Secretaria de Serviços Urbanos realizou outra ação de limpeza de terrenos no bairro.

A população deve colaborar com a limpeza urbana, dispondo o lixo nas lixeiras nos dias e horários determinados pela empresa que presta o serviço no Município. Na região central da Cidade, a coleta acontece todos os dias, nos bairros, em dias alternados. Sempre a partir das 7 horas.

O agendamento das Operações é divulgado no Boletim Oficial do Município (Foto: Agência Brasil)

A legislação prevê como ato lesivo à manutenção da limpeza urbana depositar materiais de construção civil e de podas ou outros resíduos sólidos de qualquer natureza e em qualquer volume, em via pública. Dependendo da natureza e da extensão do dano, a multa pode variar de 50 a 500 Unidades Fiscais de Bertioga (Ufibs). Em Reais o valor chega a R$ 1.380,00.

Em caso de resíduos de construção, o proprietário do imóvel deve contratar o serviço de caçamba para o correto acondicionamento. Já para os resíduos de poda, dependendo da quantidade, o proprietário do imóvel também pode solicitar uma caçamba. A Prefeitura de Bertioga disponibilizou uma área no transbordo municipal, que fica no quilômetro 227 da SP-55 (Rodovia Rio-Santos) para o descarte de resíduos de poda que irão se transformar em material para compostagem.

Para materiais inservíveis de grande volume, como sofás, colchões e outros móveis, a Secretaria de Serviços Urbanos realiza periodicamente as Operações Cata-Treco, em conjunto com a Secretaria de Saúde, cujo objetivo é evitar que esses materiais, que muitas vezes estão expostos ao tempo, sirvam de possíveis criadouros do mosquito da dengue.

A Prefeitura de Bertioga solicita à população colabore, mantendo dentro de suas casas e de forma abrigada da chuva, até que a Operação Cata-Treco aconteça no bairro. O agendamento das Operações é divulgado no Boletim Oficial do Município. A solicitação de recolhimento desse material também pode ser feita pelo telefone 3319-8035.

Denúncias sobre situações de risco podem ser feitas pelo número 3317-6273, de segunda a sexta-feira, das 8 às 14 horas ou pelo e-mail  [email protected]

Colunas

Contraponto