Santos

Santos cria fundo para financiar ações de garantia de direitos das mulheres

A lei que institui o Fundo Municipal da Mulher foi sancionada nesta segunda-feira (6)

Da Reportagem

Publicado em 07/03/2023 às 09:42

Comentar:

Compartilhe:

O Fundo Municipal da Mulher será vinculado ao Commulher e administrado pela Semulher / Reprodução/Marcelo Martins

A lei que institui o Fundo Municipal da Mulher (FMM) foi sancionada nesta segunda-feira (6), durante a abertura oficial da Semana da Mulher. A cerimônia, alusiva ao Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta quarta-feira (8), também contou com a posse dos novos membros do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Commulher).

A cerimônia foi realizada na Sala Princesa Isabel, no Paço Municipal (Centro Histórico), e contou com a presença de servidoras municipais, representantes de entidades e instituições públicas e privadas da região e de autoridades municipais, que assistiram à apresentação do cantor Rodolfo César e à palestra 'Risco Mulher - reconhecimento e complexidade', sobre a saúde da mulher, pelo ginecologista, obstetra e mastologista do Instituto da Mulher e Gestante, Gilberto Mello.

O anúncio da criação do Fundo Municipal ficou a cargo da vice-prefeita e titular da Secretaria Municipal da Mulher, Cidadania e Direitos Humanos (Semulher), Renata Bravo. "É um instrumento valiosíssimo destinado a beneficiar e proteger mulheres. É um avanço que compartilhamos com essas mulheres que contribuem tanto com a sociedade santista e nos ajudam a fazer um trabalho cada vez melhor", disse. 

O prefeito Rogério Santos afirmou que a iniciativa é um pequeno passo que fará a diferença nas políticas públicas direcionadas às mulheres. "Sou homem, nunca fui discriminado ou passei qualquer constrangimento pelo meu gênero. Não consigo viver a dor de vocês, mulheres, mas tenho certeza que caminhando juntos, vamos conquistar essa tão sonhada igualdade e fazer um planeta bem melhor", declarou o chefe do Executivo santista.

FUNDO MUNICIPAL

Com o objetivo de captar recursos para financiar programas, projetos e ações relacionados à categoria feminina, o Fundo Municipal da Mulher será vinculado ao Commulher e administrado pela Semulher.

O FMM é voltado à garantia dos direitos das mulheres nas áreas de prevenção e combate à violência; monitoramento, assistência e cuidado às vítimas de violência doméstica e sexual; segurança e acesso à justiça; profissionalização, capacitação, empreendedorismo, inserção ou reinserção no mercado de trabalho e geração de renda e emprego, entre outras.

A receita do fundo virá de doações em dinheiro e de bens móveis e imóveis de pessoas físicas, jurídicas e organismos públicos ou privados, nacionais ou internacionais, que lhe venham a ser destinados, além de outras fontes. Os carnês de IPTU dos imóveis situados em Santos, inclusive, ganharão um boleto de contribuição anual e facultativa, no valor inicial de R$ 10, a ser revertido ao Fundo Municipal da Mulher.

A lei que cria o fundo é a nº 4.174/2023, que foi aprovada em sessão realizada na Câmara Municipal de Santos em 14 de fevereiro último e será publicada no Diário Oficial de Santos nesta terça-feira (7) (https://diariooficial.santos.sp.gov.br/edicoes/leitura/mobile/2023-03-06/1).

POSSE DO CONSELHO

O evento ainda foi marcado pela posse dos conselheiros, eleitos e indicados, que farão parte do Commulher no biênio 2023/2025, sendo 12 representantes dos órgãos públicos, oito da sociedade civil, dois representantes de universidades e um de órgãos classistas, bem como seus suplentes.

Pelo Poder Público, foram empossados membros do Gabinete do Prefeito Municipal, da Coordenadoria de Defesa da Mulher, da Diretoria Regional de Ensino, das polícias Civil e Militar e das secretarias municipais de Desenvolvimento Social (Seds), Cultura (Secult), Educação (Seduc), Esportes (Semes), Finanças e Gestão (Sefin), Saúde (SMS) e Segurança (Seseg).

Já pela sociedade civil, tomaram posse representantes do Clube Soroptmista Internacional de Santos, Organização Vidas Recicladas, União de Amparo à Comunidade de Escolas Públicas (Uacep), Movimento de Arregimentação Feminina (MAF), Rotary Clube Santos Boqueirão e Zona Noroeste, Consciência Pela Cidadania (Concidadania) e Associação de Amparo Projeto Caju. Pelas universidades, foram empossados representantes do Centro Universitário Lusíada e Universidades Paulista, e pelos órgãos classistas, da Ordem dos Advogados do Brasil - subseção Santos.

Na diretoria executiva, Ercilla Maria Vargas Wiggert foi reconduzida ao papel de presidente, assim como a vice-presidente Diná Ferreira Oliveira e a primeira Secretária Paula Regina de Castro Rodrigues. Já a 2ª Secretária, Alessandra Almeida, foi empossada nesta segunda-feira.

O Conselho tem a função de criar, estimular e apoiar ações articuladas entre o conjunto de órgãos públicos e privados, para a implantação e implementação de políticas públicas comprometidas com a superação dos preconceitos e desigualdades de gênero, além de propor medidas e divulgar, fiscalizar e exigir o cumprimento da legislação em vigor, bem como deliberar e acompanhar a elaboração e execução de programas de governo no Município.

MÊS DA MULHER

Santos realizará mais de 100 atividades alusivas ao Dia Internacional da Mulher durante o mês de março. Entre as ações estão rodas de conversa sobre diversos assuntos, exibição de filmes, palestras, exposições, passeio de bonde gratuito, homenagens, entrega de prêmios e outras. A programação completa pode ser conferida clicando aqui (https://www.santos.sp.gov.br/?q=hotsite/mes-da-mulher-2023).

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

São Vicente

Equipe de companhia elétrica é espancada ao tentar cortar luz no Litoral de SP; VEJA

Caso aconteceu em São Vicente e um homem precisou ser hospitalizado

Praia Grande

PAT de Praia Grande está com mais de 25 vagas de emprego; confira os cargos

Interessados devem comparecer ao PAT para retirar carta de encaminhamento

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter