X

Santos

Performance em Santos faz 'palhaçada' para tratar da igualdade de gênero e violência contra a mulher

Ato faz alusão ao Dia Internacional da Mulher

Da Reportagem

Publicado em 08/03/2023 às 08:29

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A peça 'Escolhas' será apresentada na íntegra no Teatro Guarany no dia 30 deste mês / Divulgação/Raimundo Rosa

Em alusão ao Dia Internacional da Mulher, lembrado nesta quarta-feira (8), palhaças do grupo Bordallo Cultural realizaram intervenções em Santos, nesta terça (7), unindo circo, teatro, música e humor. Na parte da manhã, passaram pela Rodoviária e Terminal Urbano de Integração de Passageiros, no Valongo, e, à tarde, no Projeto Tia Egle (Castelo).

Nos terminais, as palhaças Meleca e Belina, interpretadas por Yvie Tinoco e Audrey Herzog, respectivamente, abordaram os passageiros com paródias, bom humor e muitas brincadeiras improvisadas, conscientizando sobre igualdade de gênero e a necessidade de combater a violência contra a mulher, privilegiando os homens durante a ação. 

Juliana Bordallo, produtora do grupo explica que a ação seguirá por todo o mês. "Estamos ocupando os territórios e espaços da Cidade, com a proposta de ir além da celebração do 8 de março, com uma conscientização maior sobre a violência. Sempre nesse lugar de luta, de reflexão, de busca pelos direitos das mulheres", disse.

A aposentada Maria Amélia Cipriano ficou encantada ao se deparar com a intervenção e logo passou a interagir com as artistas. "Quando vi essas duas meninas logo entendi que era uma ação pelo Dia da Mulher. Nós temos que ser cada vez mais respeitadas, só queremos igualdade, independentemente do gênero", conta.

As apresentações não conquistaram apenas mulheres. O metalúrgico Antônio Barbosa riu muito das paródias da dupla de palhaças. "Acho que todos têm o mesmo direito. Não apenas o homem que acha que 'pode mais'. Os direitos são iguais".

A apresentação impactou inclusive as crianças, como o pequeno Paulo Jorge dos Santos, 9 anos, que ao lado da mãe, Gilmara Souza, ouviu atento todas as tiradas de humor, deu risada e, com certeza, aprendeu um pouco mais. 

"Pretendo sempre respeitar as mulheres, pois minha mãe sempre me ensinou que isso é fundamental", conta o menino antes de abraçar a mãe que olhava atenta e emocionada ao lado. "Ações como essa ajudam a conscientizar e ensinar os mais jovens", complementou a mãe, orgulhosa.

PROJETO TIA EGLE

No Projeto Tia Egle, foi a vez da palhaça Flóris da Silva, interpretada pela produtora do grupo, performar a cena teatral 'Escolhas', sobre relacionamentos abusivos, para as mães atendidas pela instituição.

Durante a performance, a personagem se envolve com um colega de classe e sofre violência física, escolhendo deixá-lo. Com o gancho da peça, a advogada Taís Périco, que também faz parte do grupo Bordallo Cultural, puxou a roda de conversa. 

A profissional explicou os tipos de violência sofridos pelas mulheres e os direitos das vítimas perante a Justiça. As participantes compartilharam histórias pessoais e de conhecidos sobre relacionamentos abusivos, aproveitando para desabafar e tirar dúvidas jurídicas.

"Estamos levando a peça e a roda de conversa a locais onde há grande número de casos de violência contra a mulher, conforme nos foi apontado pela Secretaria Municipal da Mulher, Cidadania e Direitos Humanos (Semulher). Nosso objetivo é unir o lúdico e o cultural para levantar essas pautas, atuar também de maneira social", explicou Juliana.

A ambulante Roberta Ferreira, 41, compareceu à peça junto da filha Luíza, de apenas 3 anos, pois achou a temática interessante. "Adorei. A parte lúdica foi bem legal e a roda de conversa foi muito esclarecedora. Por mais que a gente já saiba o que é relacionamento abusivo, sempre há algo novo a aprender", afirmou.

Já a atendente Janaína Gomes, 24, que sempre comparece às atividades do projeto, foi acompanhada da filha Kauanny, 7, e da cunhada. Para ela, a ação foi importante no sentido de dar voz às mulheres, que muitas vezes não têm com quem conversar a respeito do assunto, por medo se de expor, e porque puderam finalmente desabafar, visto que se sentem seguras na instituição.

"Essa conversa dá uma clareada na mente das pessoas, porque quanto mais a gente fala, mais as mulheres pegam confiança para denunciar e se verem livres desse sofrimento", disse Janaína.

A peça 'Escolhas' será apresentada na íntegra no Teatro Guarany (Praça dos Andradas s/nº, Centro Histórico) no dia 30 deste mês, às partir das 19h, com entrada gratuita. A ação também faz parte da programação do Dia Internacional da Mulher.

Clique aqui para ver as próximas rodas de conversa e intervenções culturais que a Bordallo Cultural realizará durante o mês, bem como as demais atividades promovidas pela Prefeitura em alusão à data (https://www.santos.sp.gov.br/?q=hotsite/mes-da-mulher-2023).

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

INVESTIGAÇÃO

Caminhoneiro é sequestrado e mantido refém após descarregar carga no Porto de Santos

Homem de 42 anos disse à Polícia Civil que um dos criminosos estava armado; caso é investigado e criminosos são procurados

ATRAÇÃO NO LITORAL

São Vicente terá maior fonte interativa da Baixada Santista

Na noite desta sexta-feira (24) o novo equipamento foi acionado pela primeira vez

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter