VLI DESKTOP TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Estado desaprova temporada de cruzeiros em Santos: 'Não é o momento'

Autoridades de saúde relembram casos de contaminação em navio no Japão e estão preocupadas com chegada de embarcações à Baixada Santista

Comentar
Compartilhar
24 JUL 2020Por LG Rodrigues15h00
Momento é considerado inadequado pelas autoridades sanitárias que atuam no Governo do EstadoFoto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

O Governo do Estado de São Paulo está preocupado com o início da temporada de cruzeiros que deverá ser iniciada na Baixada Santista com a chegada das primeiras embarcações em novembro. A confirmação de que navios devem começar a chegar ao Porto de Santos veio exatamente das próprias empresas.marítimas. Ao menos quatro cruzeiros já estão com viagens acertadas e que deverão partir exatamente do cais santista.

Segundo o Coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 em São Paulo, o momento não poderia ser o menos propício, uma vez que apenas em julho, quatro meses após a pandemia do novo coronavírus ter começado a afetar o Brasil, a doença passou a ter algum controle tanto por parte das autoridades de saúde de São Paulo quando do restante do País.

"Em primeiro lugar, nós já temos várias experiências internacionais com navios e a questão da covid-19, da transmissão dentro dos navios. Aquela experiência logo no início, no Japão, foi realmente uma situação bastante desastrosa até, expondo e causando mortes por conta disso. Então cruzeiros já eram uma grande preocupação da área da saúde, que já vinha trabalhando em protocolos junto com a Anvisa para ver como lida com os cruzeiros", afirma Paulo Menezes.

 

A cidade de Santos já se prepara para receber quatro embarcações de grande porte até o fim de 2020. São elas: Costa Fascinosa, MSC Seaview, MSC Musica e MSC Preziosa.

"Tivemos anteriormente, no ano passado a situação do sarampo, chegando também em um cruzeiro e que foi muito bem controlada pelas vigilâncias de saúde do município de Santos e do Estado de forma que eu entendo que cruzeiros não eram o momento de pensar nesta possibilidade até porque os cruzeiros reúnem pessoas que vêm das mais variadas regiões e não apenas deste país, mas de outros", conclui Paulo.

Apesar disso, as autoridades não afirmaram se pretendem barrar a chegada nos navios ao cais santista de alguma maneira ou se irão adotar algum tipo de protocolo diferente daqueles vistos em anos anteriores à pandemia.