SABESP AGOSTO DESK TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Baixada Santista tem aumento na variação de óbitos, mas segue na Zona Amarela

Os dados apresentados pelo Governo do Estado durante a coletiva realizada no começo da tarde desta sexta-feira (24) apontam para uma estabilização da Baixada Santista

Comentar
Compartilhar
24 JUL 2020Por LG Rodrigues14h00
Atualmente, as autoridades sanitárias que atuam junto ao Governo do Estado classificam as regiões baseadas em cinco critériosFoto: Reprodução / Youtube

Apesar de certas autoridades terem flertado com a possibilidade das nove cidades da Baixada Santista passarem a integrar a Zona Verde antes de qualquer outra região do Estado dentro do Plano SP, os municípios caiçaras se mantiveram na Zona Amarela mesmo com o retrocesso observado em um dos fatores analisados diariamente pelas autoridades sanitárias: a variação de óbitos, que voltou a ter números de Zona Laranja.

Os dados apresentados pelo Governo do Estado durante a coletiva realizada no começo da tarde desta sexta-feira (24) apontam para uma estabilização da Baixada Santista entre as regiões que figuram na Fase 3 do Plano SP.

Atualmente, as autoridades sanitárias que atuam junto ao Governo do Estado classificam as regiões baseadas em cinco critérios estipulados com o objetivo de determinar o quão avançada está a pandemia do novo coronavírus na área em questão: Ocupação de leitos de UTI para Covid; número de leitos de Covid para cada 100 mil habitantes; variação de casos; variação de internações e, por fim; variação de óbitos.

No começo de julho, a Baixada Santista chegou a possuir quatro indicadores na Zona Verde e apenas um na Amarela, o que levou o Governo a classificar as cidades caiçaras na Fase 3 e não na Fase 4, onde já haveria uma possibilidade maior de reabrir o comércio.

Na atualização desta sexta-feira, entretanto, a Região demonstrou três indicadores na Zona Verde, uma na Zona Amarela, mas sofreu um retrocesso na variação de óbitos que apresentou dados acima da média, o que levou a estatística a ser classificada como Zona Laranja. Mesmo com esse indicador, a Região foi mantida na Fase 3, embora o índice já possa ser sinal de preocupação