X
Santos

Encosta de morro santista recebe cortina de concreto para contenção

O Morro do Fontana, em Santos, está passando por obras de contenção, para sanar os problemas provocados pelo deslizamento de terra durante as fortes chuvas do ano passado

Os operários trabalham com andaimes perfurando o talude do morro para fixar os grampos / Divulgação

O Morro do Fontana, em Santos, está passando por obras de contenção, para sanar os problemas provocados pelo deslizamento de terra durante as fortes chuvas do ano passado. Os serviços, executados em trecho de encosta na Rua Nossa Senhora do Monte Serrat nº 1.973, envolvem reconstrução, proteção e estabilização da encosta.

Os operários trabalham com andaimes perfurando o talude do morro para fixar os grampos (barras de aço) e cobrir toda a área com concreto, um total de 63m². "Trata-se da técnica de engenharia chamada de cortina atirantada, uma parede vertical com grampos que produzem cargas para atuar na contenção da encosta", explica o engenheiro Rodrigo Monteiro.

A obra começou há um mês com serviços de limpeza geral da encosta e tem 15% da totalidade dos serviços concluídos. A previsão é de que seja entregue no final de fevereiro. O trabalho é fiscalizado pela Secretaria de Infraestrutura e Edificações (Siedi) e executado pela TMK Engenharia, ao custo de R$ 1,2 milhão.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Proteção efetiva da área se dará com várias técnicas de engenharia

O projeto prevê também a execução de outras duas técnicas de engenharia para estabilizar e proteger a encosta, além de novo sistema de drenagem. Serão implantados 448m² de solo grampeado, serviço que envolve escavação, perfuração, instalação dos grampos (barras de aço), colocação de drenos e projeção de concreto. E ainda 160m² de solo-cimento, mistura semelhante à argamassa, composta de parte de terra, cimento e água.

 No que diz respeito à drenagem, a área passará a contar com uma escada hidráulica de 68 metros, que ajudará a diminuir a velocidade da descida da água das chuvas, evitando a erosão do solo, além de canaletas no topo, meio e pé da encosta e drenos horizontais profundos (430 metros) para retirar o excesso de água no interior, aliviando a pressão sobre a encosta.

 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

ELEIÇÕES 2022

Pesquisa BTG: Bolsonaro avança 3 pontos e tem 34%, ante 41% de Lula

O petista perdeu 3% dos eleitores em duas semanas, segundo o levantamento

Brasil

Economia estuda nova regra que flexibiliza teto de gastos

A emenda constitucional do teto de gastos completou cinco anos no encerramento de 2021 passando pelo momento mais crítico desde sua criação, após diferentes brechas e mudanças capitaneadas pelo governo Jair Bolsonaro (PL)

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software