Santos

Conexão Porto Cidade prejudica moradores do Piratininga

Moradores reclamam de prejuízos em casas e meio-ambiente

Carlos Ratton

Publicado em 26/07/2022 às 07:00

Compartilhe:

O representante do bairro afirma que árvores estão sendo subtraídas / Divulgação

Em nome de dezenas de moradores, o presidente da Associação de Moradores do Jardim Piratininga, Diego da Silveira Reis, iniciou uma campanha virtual para alertar sobre os prejuízos urbanos ocorridos no bairro e no do São Manoel, após a implantação do projeto Conexão Porto Cidade, que melhorar o acesso de caminhões pesados sem entrarem na cidade.

"Já sofremos a décadas por sermos um bairro afastado. As construções de equipamentos públicos, tais como policlínica e creche, embora nos atenda, foi especialmente criado pra atender moradores de bairros vizinhos e não pensando em nós" desabafa Reis.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Ele alerta que apesar de em 2016 ter sido criado Estudo de Impacto de Vizinhança pela Ecovias, obrigatório por Lei Municipal, com participação da Comissão Municipal de Análise de Impacto de Vizinhança. "Nunca fomos comunicados das intervenções e das audiências públicas. Ao contrário, só descobrimos quando tudo estava feito - projeto aprovado, autorizações aprovadas, contratos feitos e medidas compensatórias direcionadas", reclama.

Com R$ 3,2 milhões em compensação por danos ao bairro, foram realizadas obras como a Estação Elevatória, o Bom Prato da Vila Gilda, a escola do Jardim São Manoel, o Complexo Esportivo no Caruara e o Centro de Atendimento ao turismo na Zona Noroeste.

No entanto, segundo conta, pouca coisa foi realizada no Piratininga e a Ecovias, que continua fazendo intervenções contratuais sem comunicar os moradores seus impactos.

"Temos um viaduto que passa por cima das nossas casas. Agora, em razão da continuação da obra na Rodovia Bandeirantes, teremos o alargamento da faixa para os bi trens passarem com suas toneladas de produtos diuturnamente. Nossas casas estão rachadas em razão das obras. As chuvas fortes causam enchentes em alguns pontos, algo que jamais ocorria antes das obras", garante.

Reis alerta que a primeira fase do binário construído no bairro, que gerou a construção de viaduto e outras intervenções urbanas, chega em segunda fase, que irá promover o alargamento da faixa, ocupando parte do bairro, bem como alterara a entrada e saída de veículos.

"O que tem incomodado os moradores é a falta de comunicação, uma vez que haverá aumento de fluxo de caminhões pesados e se isso poderá ou não ocasionar mais rachaduras nas casas, causando prejuízos e perigo aos moradores".

ÁRVORES.

O representante do bairro afirma ainda que, sem qualquer comunicado ou justificativa, árvores, que durante há mais de 50 anos tornou o bairro especial, estão sendo subtraídas. "A nova intervenção no bairro, além da perda de árvores, ocasionara novas rachaduras em razão 
O presidente do bairro alerta que, apesar das retiradas das árvores possuírem autorização da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), a ação vem sendo coibida por moradores inconformados, causando muito discussões com funcionários da empresa de corte.

QUESTÃO ANTIGA.

Em janeiro do ano passado, o Diário já havia publicado reportagens sobre questões semelhantes envolvendo o Jardim Piratininga e a Ecovias. O bairro tem como via principal a Avenida Bandeirantes. Ao mesmo tempo que ela leva os moradores para o centro da Cidade, também leva para o centro de Cubatão.

Às margens dela, de uma lado a linha férrea que corta uma área federal e, do outro, a Rodovia Anchieta, estadual e sob concessão da Ecovias. Essa peculiar situação geográfica, que em verdade deveria facilitar a vida dos moradores, vem se tornando um martírio.

ECOVIAS.

A Ecovias informa que as obras de melhorias da 2ª fase do Sistema Binário foram amplamente divulgadas, que possui todas as aprovações dos projetos e licenças necessárias para a execução dos trabalhos. Já com relação as medidas compensatórias, a concessionária é responsável apenas pela execução e não por defini-las.

O alargamento das faixas da SP-148 será executado para melhorar o acesso e saída do bairro Piratininga, proporcionando mais segurança aos usuários. É importante informar que a SP-148 é uma rodovia administrada pelo DER e que o tráfego de caminhões é permitido no local. Com a execução das obras, haverá a melhoria do pavimento, sinalização horizontal e vertical entre outros.

Sobre as enchentes, a Ecovias esclarece que as obras da fase 1 do Sistema Binário foram executadas conforme os projetos aprovados e que não ocasionaram problemas na drenagem do bairro.

A empresa possui todas as licenças ambientais e informa que serão necessárias a supressão de algumas árvores para realizar as obras. Em contrapartida foram realizadas compensações ambientais exigidas pelos órgãos ambientais. A Ecovias está em constante tratativas com os moradores para esclarecer as necessidades e benefícios das obras.

Importante destacar ainda que os investimentos da 2ª fase da entrada de Santos vão trazer diversas melhorias, como o novo viaduto ligando a zona noroeste com a via Anchieta, sentido São Paulo, pela SP-148, que será totalmente recuperada, além da ampliação da ponte sobre o Rio Casqueiro, uma passarela de pedestre e uma estação elevatória para contribuir com o sistema de drenagem e evitar enchentes na entrada da cidade. do peso e quantidade de caminhões que irão transitar diariamente ao lado das nossas casas", revela.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Homem é preso com entorpecentes em Mongaguá

Ocorrência faz parte de uma série de operações que visa atrapalhar o andamento do comércio de drogas

Cotidiano

Anchieta e Cônego Domênico Rangoni têm lentidão; veja sentidos e pontos

Motorista vai precisar sair mais cedo de casa para chegar ao seu destino no tempo certo

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter